Simplicidade

Minimalismo: preciso ter 100 objetos?

19/07/2013

Minimalismo e 100 objetos | Camile Carvalho | camilecarvalho.com

Eu já li muitos blogs estrangeiros, que por sinal são ótimos e me motivaram muito a iniciar esse percurso no minimalismo. No entanto, há algo que eu questiono muito. Grande parte dele faz uma espécie de desafio minimalista de viver com 100 “coisas”. É o famoso 100 Things Challenge, criado por Dave Bruno. Mas será que isso é realmente bom?

Na minha humilde opinião, cada um tem uma forma de encarar o mundo e um modo de viver. Não somos seres padronizados (não deveríamos ser) e estipular uma quantidade de objetos a possuir é uma forma de padronização. Acredito que cada indivíduo possui suas próprias necessidades e se viver com 100 objetos pode ser maravilhoso pra uns, para outros pode não ser.

Quando penso em minimalismo sempre reflito sobre a utilidade das coisas, ou melhor, a qualidade. De nada adianta termos 10 calças que não nos vestem muito bem se podemos ter 2 ótimas que durarão por muito tempo. É aí que entra a Qualidade x Quantidade.

Da mesma forma, posso ter 10 calças que me vestem super bem e que as uso sempre. Devo reduzir pra duas e me desfazer das outras 8? Não sei. Talvez sim, talvez não. Isso depende da pessoa. Penso que devemos nos livrar daquilo que não nos tem serventia e que está apenas acumulando espaço. Talvez você queira doar ou vender as outras 8 calças ou talvez queira mantê-las, já que as aproveita bem no dia a dia. Minimalismo para mim, não é quantidade, é qualidade.

Outro fato que penso é que embora um desafio possa ajudar muito no início, talvez não seja tão fácil de se sustentar. Se temos 100 objetos que nos são muito úteis mas precisamos comprar uma nova peça, devemos nos desfazer de algo que nos é útil? Tudo bem, sempre tem algo que não nos serve tanto como pensamos, mas acho que um desafio de 100 itens pode nos limitar muito. E limitar, sinceramente, não é pra mim.

A maior lição que aprendi foi que o minimalismo não nos impede de comprar, mas sim, nos ensina como comprar. A consciência é o que vale, sem limitações. Pode ser que um dia eu acorde querendo ter 100 coisas apenas, mas acho que no momento estou feliz com o que tenho, conscientemente e sempre me desfazendo do que não me serve mais. No entanto, essa é a minha opinião sobre o assunto no momento. E vocês? O que acham dos desafios minimalistas de possuir apenas 100 itens pessoais?

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

Sobre produtos Cruelty-Free e Veganos

31/05/2013

Como eu já havia falado, eu resolvi fazer uma mudança na minha vida. Sei que nossa cultura é muito baseada na exploração animal e é muito difícil atualmente viver sem causar prejuízo algum a eles, pois não temos a total percepção do quanto eles estão presentes no nosso dia-a-dia, seja em corantes, seja em um simples elemento nos perfumes ou até mesmo na alimentação.

No entanto, acho que podemos ter a consciência de ao menos reduzir esse impacto. Optar por uma marca que não teste em animais é uma opção viável. Há raros casos em que somos obrigados a consumir de uma determinada marca, já que a concorrência é ampla e sempre haverá uma alternativa melhor devido à livre competição entre as empresas.

Eu não sou vegana, sou apenas vegetariana. Porém, decidi buscar, aos poucos, utilizar produtos de cosméticos que sejam Cruelty-Free, ou seja, de empresas que não utilizam o teste em animais em nenhuma das etapas de produção. Darei preferência também a produtos Vegans, que são aqueles que, além de não utilizarem animais para testes durante a produção, também não possuem componentes derivados de animais em suas fórmulas. Uma coisa é diferente da outra, podemos ter um produto Cruelty-Free, mas que seja feito a base de leite, por exemplo, logo, ele não seria vegano.

Não sou radical, mas tenho uma preocupação enorme quanto a esse tema. Como Médica Veterinária acompanhei muita coisa e, sinceramente, fica difícil fechar os olhos para o sofrimento de outro ser vivo apenas para o prazer de, por exemplo, ter um batom da moda.

Como eu disse, o mesmo batom vermelho de uma empresa que realiza testes em animais, certamente existirá em uma outra empresa que não realiza tais testes. É apenas uma questão de escolha e não de abstenção. Continuarei tratando minha pele, usando minha maquiagem, pintando minhas unhas, mas com produtos mais seletos, e é por isso que estou abrindo essa nova categoria aqui no blog para falar dos produtos que eu tenho usado e que fiquei satisfeita. Não se preocupem, pois também falarei daqueles que não deram certo comigo. Minha opinião aqui será a mais sincera possível, pois não tenho a intenção nenhuma de falsear informações.Os posts que indicam produtos e alimentos serão sinalizados de acordo com a classificação: Vegetarianos, Veganos ou Cruelty-Free.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Vida Online

Técnica Pomodoro: um método para gerenciar seu tempo

01/09/2012

Técnica Pomodoro: saiba como administrar seu tempo | Camile Carvalho | #camilecarvalho

A Técnica Pomodoro serve para gerenciar o tempo de maneira simples e produtiva. O método consiste em trabalhar com foco e sem interrupção durante um período de 25 minutos e descansar 5, totalizando 30 minutos, período este nomeado de ‘Pomodoro‘. Uma sessão completa consiste em 4 Pomodoros, totalizando assim 2 horas de trabalho produtivo.

O método foi desenvolvido pelo italiano Francesco Cirillo, que utilizou um simples cronômetro de cozinha em forma de tomate (pomodoro em italiano), o que deu nome à técnica. Após algumas experiências com diferentes tempos, Cirillo chegou à conclusão de que 25 minutos eram ideais para se completar uma tarefa de forma produtiva.

5 passos essenciais da Técnica Pomodoro

  1. Escolher a tarefa a ser executada (podemos associar ao GTD)
  2. Ajustar o alarme para 25 minutos
  3. Executar a tarefa durante o tempo de 1 pomodoro
  4. Fazer a pausa de 5 minutos
  5. Após 4 pomodoros (25+5 minutos) fazer uma pausa longa de 15-30 minutos

Cada etapa tem sua importância, desde a escolha da tarefa a ser realizada até o registro de cada uma delas concluída. Assim é possível, no final, fazer uma avaliação da produtividade. É importante que determinemos as principais tarefas a serem realizadas no dia e, dependendo de como elas serão executadas, pode-se usar tranquilamente a técnica Pomodoro. Vejamos um exemplo:

Você acorda e determina que as principais tarefas do dia são:

  • Escrever um post no blog
  • Ler um artigo para a faculdade
  • Organizar os arquivos do computador e fazer backup
  • Limpar a casa

Todas as tarefas podem ser realizadas no mesmo ambiente, ou seja, sua casa, e você nesse dia tem 2 horas livres. Usando a técnica Pomodoro, você realizará cada tarefa em 25 minutos, dando um intervalo de 5 minutos entre cada uma delas. Em apenas 2 horas você terá feito 4 tarefas que talvez se não tivesse o foco, não seriam realizados em tão pouco tempo. E o melhor, é que como há o tempo de pausa, não se torna cansativo.

Durante a pausa é recomendável que se faça uma outra atividade diferente da tarefa executada. Se durante 1 pomodoro você ficou sentado em frente ao computador escrevendo um artigo (como estou agora), nos 5 minutos de pausa levante-se, caminhe pela casa, faça algo relaxante. Escute uma música, feche os olhos, cheque o facebook (vício), mas não execute nenhuma outra tarefa antes de acabar o tempo de pausa, mesmo achando que não está cansado e que pode emendar duas tarefas. Respeite a pausa.

Há diversos sites que ensinam a técnica, mas o oficial é esse. Há também diversos aplicativos para iPhone, Extensões para Chrome, mas qualquer cronômetro por mais simples que seja é o suficiente para marcar o tempo da atividade. Não complique! Uma dica muito bacana é o site Pomodoros, que com um simples cadastro gratuito, é possível registrar as tarefas de cada Pomodoro e ativar o cronômetro, tendo controle assim de cada tarefa executada e de quantos pomodoros já foram executados.

Não deixe de experimentar a técnica! Associada ao GTD é excelente, pois enquanto o método do David Allen se preocupa em organizar todo um sistema de administração de tarefas, o Pomodoro viabiliza a execução.

Dicas importantes para a execução

  1. É extremamente importante que durante esse tempo não haja nenhuma distração. Feche todos os navegadores e desconecte-se do MSN
  2. Coloque o celular no silencioso e mantenha o foco em apenas uma tarefa.
  3. Tenha a certeza de que o ambiente está propício e de que não haverá nenhuma interrupção como pessoas interrompendo, telefones tocando ou barulhos demais no local.
  4. Mantenha uma garrafa de água por perto e certifique-se de que todo o material necessário à execução da tarefa está em mãos, para que não seja necessário levantar-se provocando a dispersão.
  5. Mantenha um bloco de anotações para registrar as tarefas concluídas.

Não se preocupe com a técnica, mas sim com a execução. Nunca se esqueça de que quanto mais simplificamos, mais produtivos nos tornamos. Não espere que todas as condições sejam propícias para o início da execução de uma tarefa. Ao invés disso, crie o ambiente ideal.

A técnica não necessariamente precisa ser aplicada com 4 Pomodoros. Caso você tenha apenas uma, não deixe de usar o sistema. Com o tempo você vai acabar se acostumando com a sensação de dever cumprido após terminar um Pomodoro, que instintivamente ficará mais focado em cada tarefa, mesmo sem estar realmente utilizando a técnica. É uma forma maravilhosa de exercitarmos nossa produtividade.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Páginas«1 ...636465666768»