Você tem medo do que os outros pensam?

26/05/2016

Você tem medo do que os outros pensam de você? | Canal do Youtube - Camile Carvalho

Hoje acordei inspirada pra  gravar vídeos pro meu canal do Youtube. Depois de um bate-papo pelo whatsapp com minha amiga e blogueira Amanda sobre medos em relação às críticas dos outros, resolvi trazer esse assunto aqui pra debatermos melhor.

A questão é: muitas vezes, temos um impulso de criar algo novo. Porém, não é raro que pensemos que alguém irá nos criticar, nos julgar ou não gostar de nosso trabalho. E então, toda aquela energia criativa que nos cercava, vai embora, nos deixando cada vez mais inseguros e com a sensação de fracasso.

Como falei no vídeo, nossa mente é a principal responsável por nos bloquearmos dessa maneira, e só há um jeito de sairmos dessa prisão que nós mesmos criamos: controlando nossos pensamentos negativos e vivendo na energia do amor, não do medo.

Não deixem de assistir o vídeo e assinar meu canal do youtube. Se gostou, comente e curta, para que eu tenha um retorno do que vocês mais gostam de assistir e ler por aqui.

Gratidão!

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Meditação

Meditação: observando seus pensamentos

23/05/2016

Meditação: observando seus pensamentos | Camile Carvalho | Vida Minimalista #camilecarvalho

A meditação, assim como yoga, é uma prática constante. Não é algo que fazemos um dia só e pronto: nos tornamos iluminados e perfeitos.

No começo, pode até parecer difícil sentar-se quieto durante um determinado tempo e simplesmente não pensar em nada, mas a meditação não necessariamente exige esse esvaziamento da mente. Pra falar a verdade, cessar o fluxo de pensamentos é uma consequência de uma prática constante, não uma exigência para quem está começando agora.

Mindfulness, a atenção plena

Meditar é estar consciente do momento presente. No instante em que estamos com o foco no que está acontecendo no aqui e agora, estamos em estado meditativo, independentemente se estamos caminhando por um parque, escrevendo um texto ou lavando uma louça. Podemos meditar e estarmos com atenção plena (mindfulness) em diversos momentos do nosso dia, e a prática da meditação nos leva a prestarmos mais atenção a esses momentos, aumentando assim a nossa consciência sobre o que estamos fazendo.

No começo pode ser que prestemos atenção apenas em uma pequena atividade durante as 24 horas do dia. Pode ser pouco, mas já é um ótimo começo. Com o tempo, começamos a ter mais momentos de atenção plena enquanto desenvolvemos atividades comuns. Como expliquei, meditar é uma prática que deve ser feita constantemente, e quanto mais meditamos, mais aumentamos essa janela de estarmos presentes e inteiramente concentrados.

O estado de atenção plena é importante, mas para chegarmos a esse estado, é necessário que tenhamos um momento para nós mesmos. Sentados, em silêncio, prestando atenção em nossa respiração e acalmando nossa mente. A ideia da meditação silenciosa e sentada é que consigamos levar esse estado de atenção ao nosso dia-a-dia, para que possamos realizar nossas tarefas com atenção plena.

Portanto, se você acha que meditação não é pra você, experimente apenas sentar-se de maneira confortável onde você está, fechar os olhos e prestar atenção no ar que entra e sai pelas suas narinas. Se um pensamento vier em sua mente, não se envolva com ele, apenas observe. Repare que nossa mente não pára um segundo sequer, e de um pensamento logo surge outro, e outro… ria de sua mente. Ache graça na forma como tudo parece descontrolado.

O descontrole dos pensamentos

Chega parecer loucura a forma como nossa mente acha ligação entre um assunto e outro, mas apenas deixe que fluam tais pensamentos. Seja o observador de sua própria mente e perceba que você não é seus pensamentos. Eles existem? Sim! Mas não se identifique. Apenas observe e perceba que por muitas vezes, achamos que somos nossos próprios pensamentos e nos envolvemos com eles, nos deixamos levar… mas pense comigo: se somos nossos pensamentos, como podemos observá-los?

Reflita sobre isso e procure praticar essa meditação por alguns minutos diariamente. Você vai perceber que aos poucos conseguirá se concentrar melhor em suas tarefas e desenvolver suas atividades diárias com mais sentimento de presença. Afinal, o estado de mindfulness é quando não estamos revivendo o passado nem ansiosos com o futuro. Estamos apenas ali, vivendo o que estamos vivendo, com atenção total.

Se você experimentou a meditação, conte pra mim aqui nos comentários suas experiência.

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Reflexões sobre consumo consciente

20/05/2016

Reflexões sobre consumo consciente | Camile Carvalho #camilecarvalho

Um tópico que gosto bastante no livro da Marie Kondo (veja resenha aqui) é o de unir tudo da mesma categoria num mesmo lugar. Por exemplo, se você vai organizar livros, pegue todos os livros da casa e coloque no mesmo lugar pra começar a arrumação. Juntando tudo que está espalhado, temos uma visão geral da quantidade de itens em cada categoria.

Quando juntei todos os meus cosméticos no chão do meu quarto, fiquei impressionada com a quantidade de cremes (pra mesma função!) e outras coisas que nem lembrava que tinha guardado. Isso porque não juntei o que estava dentro do box (shampoo, condicionador, sabonete e creme de hidratação) por já estarem em uso e não necessitarem de um declutter.

Se você vai fazer uma arrumação dessas, sugiro que faça o mesmo que eu fiz: colocar tudo no chão do quarto ou sala pra ter uma visão do que andamos acumulando ao longo dos anos. E foi através desse método de organização e declutter que me dei conta de algumas coisas…

Quanto mais compramos, maior a tendência a acumular

Se temos apenas poucos e bons produtos, certamente pensamos duas vezes ao ver uma novidade pelo mercado. Quando já temos muitos, não nos importamos tanto em levar mais um, afinal, onde cabem 10, cabem 11.

Revisar é importante

Sempre falei sobre minimalismo no blog, desde 2010 (Vida Minimalista) e eu realmente consegui viver com poucos itens – e sobrevivi. No entanto, pela falta de revisão e um relaxamento natural, como se tudo já estivesse em seu fluxo, acabei comprando sem refletir muito, e então o acúmulo voltou sem eu perceber. Estar atento e revisar é fundamental, como no método GTD.

Compramos por uma ilusão

Quando aquele creme novo é lançado, há todo um trabalho de publicidade pra nos fazer desejar o produto através de promessas imateriais. Sempre vão associar o uso do produto – ou compra – à felicidade, e acabamos comprando achando que ele sim, vai resolver nossos problemas, mas quando o usamos em casa, pode até ser bom, mas não milagroso.

Não existem milagres

Como falei acima, compramos achando que aquele produto vai resolver nossos problemas. É ele quem vai fazer os cachos ou liso perfeitos, ou que vai enfim tirar as celulites, ou acabar de vez com as espinhas e manchas de pele, mas a verdade é que nenhum produto faz milagres. Ele pode sim, tratar aos poucos o cabelo/pele de acordo com suas substâncias ativas, mas milagre, jamais.

Cruelty-free é uma questão de escolha, por isso é tão importante.

Usar produtos que não testam em animais não é o fim do mundo, mas pode significar o fim do sofrimento animal. Na hora de escolher um produto, geralmente temos na prateleira um que realiza testes em animais e outro, ao lado, que não realiza.O que realmente de diferente acontecerá pra nós caso escolhamos o que testa em animais? Nada! E o que perderemos ao escolhermos o que não testa? Nada!

O fato de fazer a escolha por um produto cruelty-free não vai prejudicar o resultado final, muito pelo contrário! Muitos produtos de altíssima qualidade são de empresas que não testam em animais e possuem produtos veganos, como o Lolla Cosmetics, Amend e Lush. O trabalho aqui é mais em começar a se colocar no lugar do outro e ter a compaixão de não prejudicar outros seres só pelo nosso próprio bem-estar e ego.

Acredite, aquele produto que você tanto gosta e que é de uma empresa que realiza testes em animais pode ser substituído por outro que não testa. Nenhum produto é insubstituível! 🙂

Somos co-responsáveis pelo nosso planeta

Vivemos reclamando que nosso planeta está se destruindo, que o homem não o respeita mais, mas que pequenas mudanças podemos fazer no nosso dia-a-dia? O que estamos – ou vamos um dia – transmitir aos nossos filhos, sobrinhos ou crianças com as quais convivemos?

Acredite, cada pequena ação conta, e muito para fazermos um mundo melhor. E tenha a certeza que colocar aquele produto de volta na prateleira e pegar o que está ao lado que é um pouco mais eco-friendly já é um grande ato. Você pode pensar que só você não faz diferença no planeta, mas imagine 10 pessoas fazendo em seu bairro, 100 na sua cidade, 1000 no seu país. Faz sim, e muita diferença!

Essas foram as reflexões que fiz durante minha arrumação. Pra falar a verdade, separei alguns pra doar, outras embalagens de produtos vencidos irão pra reciclagem, mas ainda me sinto sufocada por tanta coisa que ficou. Não fiz uma super redução nos meus produtos, pois quero usá-los até o fim, tanto pra não desperdiçar produtos, quanto pra não desperdiçar o dinheiro que gastei neles, mas confesso que poderia simplesmente viver com muito menos deles. E vou, em breve.

E vocês? Usam produtos cruelty-free? Costumam comprar por impulso ou já estão refletindo sobre seu consumo? Contem pra mim aqui nos comentários!

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Páginas12345... 114»