Videos

VLOG #2 – voltei ao youtube + Aula de Ayurveda

27/11/2017

Parece que estou mesmo empolgada com o retorno ao mundo blogueiro e, agora, ao youtube. Depois de receber minha câmera nova (Canon G7X Mark II), me animei pra voltar a gravar e fotografar por aí. A questão é que sempre usei minha câmera profissional, mas como ela é muito pesada e não é sempre que posso carregá-la comigo, dificultava muito registrar os momentos com amigos e passeios. Agora tudo está resolvido!

No sábado tive o módulo prático de Vata no curso de Ayurveda da UERJ e levei a câmera pra estrear por lá, gravando um vlog. Amei a praticidade de simplesmente point-and-shoot (aponte e clique) e como ela é leve pra segurar em uma mão só enquanto gravo. Está super aprovada! Ah, em breve farei uma resenha melhor sobre ela.

Deixo com vocês o vlog do fim de semana. Aperte o play e siga meu canal!

Tem alguma dúvida sobre Ayurveda ou sobre o curso? Deixe seu comentário abaixo que estou escrevendo um post respondendo as dúvidas de vocês.

Até a próxima!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Blog

Quando as pausas são necessárias (voltei!)

19/11/2017

Às vezes transbordamos. E foi num desses momentos, de querer abraçar o mundo, de querer dar conta de tudo que estava acontecendo em minha vida, deixei o blog de lado. A decisão de acabar com o blog não foi muito difícil: se antes eu planejava tudo nos mínimos detalhes pra cuidar com todo amor e carinho deste espaço, neste momento de turbulência simplesmente deixei de escrever sem culpa. As coisas simplesmente aconteceram.

Tirei os artigos do ar, usei este endereço pra um site fixo apenas com algumas informações profissionais, criei novos projetos com os quais não me identifiquei e no fim das contas, deixei tudo pra lá. Estava ocupada demais com meus compromissos, deixei a organização de lado, me sobrecarreguei e vivi de forma espontânea tudo que precisava viver no mundão lá fora, longe da telinha do computador.

Neste ano de 2017, escolhi pra me especializar ainda mais no mundo do yoga. Fiz um curso de formação de Tantra Yoga da Ananda Marga – o qual já apresentei minha aula final mas outros colegas apresentarão ainda no módulo de dezembro. Comecei minha formação em Ayurveda – a medicina tradicional indiana – que concluirei em maio/2018 e ministrei alguns workshops, além das aulas regulares que conduzo em alguns espaços aqui no Rio de Janeiro.

A ideia de começar um grande projeto pro ano que vem precisou dar uma desacelerada quando recebi o resultado da Universidade: passei no mestrado em Comunicação pra turma de 2018. Digo a vocês que a ficha ainda não caiu, já que desde 2012 estou ensaiando encarar o processo seletivo mas sempre achava que não era o momento, que o projeto não estava bom o suficiente e outras mil desculpas que, você sabe, sempre inventamos como uma forma de autossabotagem.

Eu AMO dar aulas de Yoga, mas também sou apaixonada pelo meio acadêmico, por pesquisas e outras formalidades. A partir de março, muita coisa vai mudar na minha rotina, e a mudança só não é maior pois minha pesquisa em Comunicação é relacionada à tradição iogue: livros tradicionais em sânscrito, os VEDAS.

E a roda vai girando. E transformando. E mudando tudo que eu pensava que estava certo. E já tem algumas semanas que sinto saudades de escrever no blog. De conversar com vocês, de compartilhar e trocar inspirações. Saudades de ter este momento, como este, agora, no qual estou sentada sobre meu tapetinho de yoga com um caderno aberto cheio de anotações com minhas canetas coloridas. Saudades de voltar a me organizar e compartilhar com vocês. Saudades daquele momento de revisar o texto e clicar em publicar.

Por que mudei tanto, se o blog era tão legal? Não sei dizer. Foi necessário dar um tempo pra respirar, pra voltar com mais amor a este espaço e à blogosfera. Um espaço que precisei pra entender que isso me fazia um bem danado. E aqui estou, na espiral da vida.

Este é um post de boas vindas novamente – já me perdi quantas vezes fiz isso – mas não vou me desculpar pelos sumiços. Foi necessário. Pausas e mudanças fazem parte da vida. E que possamos juntos recriar esse fluxo lindo de trocas, inspirações e boas energias por aqui.

Vamos nessa?

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Yoga

Íshvara Pranidhana: Entrego, confio, aceito e agradeço

18/10/2017

Íshvara Pranidhana: Entrego, confio, aceito e agradeço | Chandrika Yoga

Nós, seres humanos, somos controladores por natureza. Queremos o tempo todo manter as rédeas de tudo e de todos. Dificilmente aceitamos quando perdemos o controle de alguma situação. Nos sentimos vulneráveis, desamparados, e a angústia de ver tudo saindo de forma diferente do planejado acaba tomando conta de nossas mentes.

No entanto, se pararmos pra pensar, muitas situações que esperávamos por um resultado acabaram tomando um outro rumo – pra melhor. A questão é, será que tudo que achamos que é ruim em nossas vidas realmente é? Será que somos capazes de identificar o que é desfavorável ou negativo para nós, sem termos uma visão ampla do que pode vir a acontecer no futuro? Por que tanto medo das coisas não acontecerem como o planejado?

Segundo o sábio Patanjali – quem organizou o conhecimento do yoga em oito passos conhecidos como Ashtanga – dentro dos códigos de conduta encontramos o Íshvara Pranidhana, ou seja, a entrega total a um controlador supremo. É claro que é importante planejarmos nossas vidas e batalharmos para realizarmos nossos sonhos e metas, mas da mesma forma, é importante sabermos que nem sempre as coisas acontecem como desejamos. Nesta visão, há uma consciência suprema onisciente, que tudo sabe sobre o passado, presente e futuro, pois esta consciência É o passado, o presente e o futuro.

Nós, seres humanos, possuímos sentidos imperfeitos. Avaliamos as situações de acordo com nosso ponto de vista, com nossa bagagem cultural e de uma forma muito limitada. Não temos ideia do TODO, dos motivos pelos quais fatos que independem da nossa vontade ocorrem. A natureza tem seu próprio ritmo, sua própria forma de dançar, e nós estamos no embalo desse som do Universo.

Íshvara Pranidhana é entrega total. É confiar que tudo bem que as coisas não ocorreram conforme desejávamos. É confiar que há uma inteligência muito maior que rege nossas vidas. É entregar de coração o resultado de nossas ações, sem esperar nada em troca. Íshvara Pranidhana é, também, aceitar o que vier, pois tudo acontece conforme deve acontecer. E é agradecer por tudo o que recebemos, seja algo bom, ou ruim. Pois mesmo nas fases mais sombrias que vivenciamos, há um aprendizado muito grande. Nos tornamos mais fortes, mais preparados para a vida. A cada dificuldade desenvolvemos uma força tão enorme que, ao passarmos por ela, olhamos para trás e muitas vezes não compreendemos como fomos fortes.

Entrego, confio, aceito e agradeço. Que possamos falar mais esta frase, que se tornou tão popular pelo querido Professor Hermógenes. E que possamos, além de tudo, agradecer por cada passo que demos em nossas vidas.

Tudo acontece exatamente da maneira como deve acontecer. Apenas entreguem!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Páginas12345... 47»