Artigos sobre » Desapego 2011
Casa & Energias

Como organizar fotografias em papel

13/07/2011

Como organizar álbuns de fotografias | Camile Carvalho | #camilecarvalho

Aqui em casa nós somos apaixonados por fotografias. Temos uma gaveta na estante da sala que guarda diversos álbuns de aniversários, viagens, passeios e família, mas o que mais me incomodava era a falta de organização. Como essas fotos são da era analógica, mandávamos o filme pra revelar e acabávamos guardando as fotos naqueles álbuns que vinha de brinde da loja, ou seja: Diversos álbuns diferentes, sem datas, alguns com poucas fotos, outros com muitas, e algumas fotografias soltas pela gaveta.

Decidi enfrentar o desafio de terminar de organizar todas as fotografias da família, afinal, é vergonhoso para uma fotógrafa não ter tomado essa iniciativa antes. Aliás, eu já havia começado esse projeto há alguns anos, e tenho minhas fotos de criança organizadas em 2 álbuns, mas o restante ainda estava uma bagunça. Aproveitei um final de semana inteiro pra trabalhar nesse projeto, acompanhem o passo-a-passo:

Como organizar álbuns de fotografias | Camile Carvalho | #camilecarvalho

Passo a passo de como organizar fotografias

1 – Peguei todos os álbuns que estavam na gaveta (e espalhados pela casa) e juntei.

2 – Retirei todas as fotos e empilhei de acordo com o tema, separando por ano. Utilizei post-its para indicar as fileiras dos anos correspondentes.

3 – Após tudo organizado, coloquei os eventos em ordem cronológica. É fato que, por não termos as datas corretas nas fotos, não pude ser precisa com alguns eventos, apenas com “férias”, “carnaval”, “aniversário”, “natal”, que são datas fixas. Outros eventos como passeios organizei mais ou menos de acordo com o tipo de cabelo das pessoas nas fotos, principalmente o meu, já que sou quase um camaleão, sempre mudando a cor e o corte, rs.

4 – Empilhei todas as fotos e as prendi com elásticos dividindo por ano.

5 – Comprei álbuns iguais, devido à estética. Já que resolvi deixar tudo organizado, quero padronizar todos os álbuns.

Como organizar álbuns de fotografias | Camile Carvalho | #camilecarvalho Como organizar álbuns de fotografias | Camile Carvalho | #camilecarvalho

Conclusão: Eu não sabia que tínhamos tantas fotos. Com 3 álbuns pensei que conseguiria organizar todas as fotos de 1994 até 2006, mas consegui apenas guardar 2 anos de fotografia por álbum, o que significa que temos em média 100 fotos por ano (antes da fotografia digital).

Dicas:

# Elimine as fotos desfocadas, constrangedoras, sem um assunto, tremidas e repetidas. Você não precisa ter 3 fotos na mesma posição, nem aquela foto que você odeia com os olhos fechados e boca aberta.

# Anote o ano e o evento atrás da foto. Isso vai facilitar muito se um dia precisar recorrer à essa informação e não tiver escrito no álbum. Não precisa escrever em todas, apenas na primeira de cada série, ex.: Aniversário 10 anos – 1994.

# Compre um modelo de álbum que você possa comprar mais se precisar. Eu estou organizando em álbuns que são vendidos nas Lojas Americanas, sei que vou precisar de mais e sei que vou encontrar na loja sempre que precisar.

E você? Tem suas fotografias organizadas? Como guarda suas lembranças? Conte pra gente!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Simplicidade

Doações: Mais uma etapa cumprida

24/06/2011

Estou aproveitando o feriado pra continuar na minha missão minimalismo 2011. Ontem aproveitei o final da tarde e a noite pra separar mais coisas pra doação, e hoje terminei a arrumação. O resultado foram 6 sacolas de itens que só estavam ocupando espaço da minha casa. O mais impressionante, é que não estou colocando 1 dedo sequer nos pertences dos meus pais. Estes, continuam lá, entupindo as gavetas e prateleiras do armário. Estou apenas tomando essas decisões com objetos que são meus, pois essa é uma decisão minha, uma meta e desafio meu, e talvez até seja mais difícil pelo fato de eu morar com pessoas que acumulam de tudo, desde nota fiscal de supermercado (aqui na cozinha tem desde abril) até encartes e potes de requeijão vazios. Acho que é uma boa idéia depois fazer um post especial sobre isso, acho que vocês vão cair pra trás!

Outra coisa que me surpreende, e não sei se com vocês acontece o mesmo, é que mesmo separando várias sacolas pra doação, visualmente parece que não tem nada diferente. Não sinto ainda o ambiente vazio, apenas me sinto bem por estar ajudando alguém. É certo que um bom peso parece sair das minhas costas, mas visualmente ainda não vejo a mudança. Isso só me faz perceber que não era pouca coisa que eu tinha entulhando minha vida, mas sim muita coisa, e densa.

O que ataquei hoje:

1 – Fitas K7: Doei praticamente todas as minhas fitas antigas, desde Funk brasil, Mamonas Assassinas, Cavaleiros do Zodíaco e Os melhores sambas de algum ano antes de Cristo. Mantive as fitas dos meus pais, principalmente as coletâneas gravadas, e claro, as gravações dos programas de rádio da antiga banda do meu pai (baterista), a Bandalha, que depois de algumas mudanças nos integrantes virou o atual Kid Abelha (e os abóboras selvagens).

2 – CDs: Mesmo já tendo feito um declutter nessa sessão, hoje voltei lá e me desfiz de todos os meus CDs. Eu não preciso mais deles, pois só escuto em MP3. Os melhores já havia copiado pro meu iTunes e estão lá, guardadinhos na minha outra partição do computador e com backup no HD externo.

3 – DVDs: Animais incríveis, karaokê do Raul Gil e outras coisas que eu guardava pra um dia quem sabe assistir, foram pra sacola de doação. Quando quero cantar, uso meus playbacks, não preciso da cara do Raul Gil sorrindo na TV enquanto canto. Faz até desafinar!

4 – Enciclopédias: História ilustrada, dicionário de português do Globo (de 1998) e livros de médicos do plano de saúde da década de 80, me desculpem pais, mas essa hora já devem ter virado papel reciclado.

5 – Duas mochilas antigas. Quando falo antiga, não estou falando do mês passado. Estou me referindo àquela que quando entrei na zona interditada da casa, o famoso quartinho dos fundos, encontrei socada no fundo do armário.

6 – Fichários antigos. Eu não preciso. Ninguém aqui precisa. Minha prima-irmã usa caderno, eu uso netbook e mesmo assim mantenho um caderno reciclado pra caso ‘algum dia/talvez’ precise.

Essas foram algumas das coisas que me desfiz, além de algumas roupas mais antigas que as antigas que encontrei no meu garimpo no quartinho dos fundos. Depois disso tive que ir ao shopping comprar os álbuns de fotos que também iniciei o projeto de organização hoje, mas fica pra um próximo post.

Todas as doações que faço, são pro Instituto Ronald McDonald, que com um bazar das doações arrecada verba pra manter o tratamento de 32 crianças e abrigá-las com seus familiares. Conheço o trabalho deles de perto, e a cada dia mais obras de expansão estão sendo feitas pra aumentar a capacidade. Já conheci também familiares de crianças que estavam morando lá, e é muito bom ver que trabalhos sérios estão sendo realizados.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Casa & Energias

Organizando as pastas de arquivos

19/06/2011
Organizando as pastas de arquivos | Camile Carvalho | #camilecarvalho

Após fazer uma pequena revisão sobre o que realizei até agora na minha meta de 2011, tirei o Domingo pra renovar um pouco as energias e decidi atacar minha pasta de arquivos de referência, enquanto formatava meu PC.

Meu computador já estava apresentando alguns problemas de reinicialização, e embora eu esteja sempre passando antivírus, antispyware e antiTUDO, sempre há resquícios de programas desinstalados, falhas no registro e outras coisas que deixam o sistema lento e ineficaz, além da enorme quantidade de tralhas que vão se acumulando e nem percebemos. Tenho o costume de usar a outra partição no HD pra salvar meus arquivos, além de ter um backup no HD externo, e por causa disso a tarefa de formatar a máquina não me rendeu dores de cabeça pelo simples motivo de eu não estar correndo o risco de perder nada.

Enquando ocorria a formatação da unidade C: e instalação do novo sistema operacional, peguei minha pasta de arquivos e sentei no chão do quarto, como sempre faço, pra analisar cada documento que tinha. Acabei me desfazendo de uma sacola inteira de papel sem utilidade e reorganizei a pasta, colocando em plásticos próprios e etiquetando-os de acordo com a categoria. Às vezes guardamos um papel pensando que vamos precisar no futuro, mas quando vemos, nunca o utilizamos. Todos os que joguei fora hoje podem ser facilmente impressos caso eu necessite, pois são de cursos anteriores (a maioria que eu mesma imprimi) e estão salvos no meu HD externo, ou são aqueles que guardamos pra Algum dia/Talvez e depois percebemos que não é tão útil assim quando o havíamos guardado. Geralmente, por apego, achamos que vamos precisar mais tarde de algo, mas quando passa o tempo e vemos que nem lembrávamos que havíamos guardado aquilo, ele se torna desnecessário.

Organizando as pastas de arquivos | Camile Carvalho | #camilecarvalho

Acabei liberando 3 pastas de arquivos, que dei pro meu pai guardar a papelada dele – porque o minimalismo só me atingiu na família – e consegui reorganizar meus roteiros e projetos de livros que estou escrevendo (são 2 romances, um jovem e um policial). Agora vou sentar com calma e traçar uma nova meta em relação a eles, pois em um deles (policial) estou na fase final da escrita. Toda dedicação é pouca quando tratamos do final de um livro.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr