Como lidar com o medo?

12/07/2015

Como lidar com o medo | camilecarvalho.com | #camilecarvalho

Nem sempre é fácil encarar novos desafios. Permanecer no lugar em que estamos geralmente é mais seguro, mais sábio. Mas será mesmo que seguir o caminho da prudência constantemente é bom? Por que não arriscar dar um salto maior em determinados momentos e abandonar o medo?

Na maioria das vezes em que nos sentimos seguros, é porque estamos parados, estagnados. É como estar numa brincadeira de dança-das-cadeiras. Enquanto estamos ali, reservando nosso lugar, não caminhamos adiante. Permanecemos parados, guardando algo – ainda que ilusório e impermanente – só para o caso de se a música parar, termos onde sentar.

Mas será que ficar imóvel é bom? Será que permanecer ali, aguardando sabe-se lá o que não é prejudicial ao nosso desenvolvimento?

Todo crescimento é doloroso. Nos gera dúvidas, inseguranças e sentimentos de ansiedade por não sabermos o que iremos encontrar mais adiante. Temos medo do desconhecido, mas nem sempre o caminho obscuro é o que realmente nos causa tanto pavor.

Como já dizia Marianne Williamson, “é nossa luz, não nossa escuridão que mais nos amedronta“, e posso dizer que há muitos casos em que sair da zona de conforto não significa entrar em um caminho de escuridão, mas de luz. Em muitas situações temos medo de vivenciar algo melhor, por mais estranho que possa soar. Mais responsabilidades ou maior visibilidade pode nos paralisar, ou até em alguns casos, nos fazer dar um passo atrás. Mas é neste momento em que devemos fazer uma autorreflexão e tentar identificar o que está nos causando o medo.

Medo. Talvez seja este o motivo pelo qual não conseguimos andar para frente e enfrentar o que precisamos para vivermos de forma mais plena e realizada. Em uma sociedade em que o medo permeia por todas as entranhas e é onipresente em seus indivíduos, é normal que nos sintamos desconfortáveis em arriscar algo novo, co-criar nossa própria experiência de vida e sair da zona de conforto. O medo é bom em algumas situações, claro. É ele quem nos faz planejar e ponderar melhor o próximo passo. Mas é ele, também, quem nos impede de sermos o que desejamos. Temos medo do que vão pensar de nós. Temos medo do que irá acontecer. Medo, medo e medo…

Está na hora de jogarmos um pouco esta palavra de lado e vivermos no caminho do amor e da confiança. Porque nós – e apenas nós – somos responsáveis pela construção do nosso caminho. Somos nós quem criamos a nossa própria existência, e não a opinião alheia sobre a estrada que decidimos seguir. Afaste-se dos fantasmas que sua própria mente criou e dissipe a nuvem densa que paira sobre seus olhos. Caminhe, em passos firmes, em direção ao que você deseja ser.

Se não for agora, quando será?

imagem: Pixabay

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)