Internet

Fiquei offline – E foi libertador!

27/06/2016

Itaipuaçu - Rio de Janeiro | Fiquei Offline e foi libertador! | Camile Carvalho Blog

Eu poderia ter ficado pelo Rio de Janeiro no domingo, mas resolvi passar o dia em Itaipuaçu com meus pais. Pra quem não conhece, Itaipuaçu fica a 55km do Rio e dependendo da estrada, fazemos o percurso em uma hora. O dia estava lindo e assim que acordei, já arrumei a mochila pra pegar a estrada.

O que foi um azar, acabou sendo a minha sorte: semana passada o carregador do meu  notebook simplesmente parou de funcionar. Enquanto arrumava a mochila, resmunguei pelo fato de não poder levar meu notebook comigo, ou seja, ficaria sem acessar o blog, sem escrever e sem desperdiçar tempo navegando aleatoriamente por sites e redes sociais. Peguei então o iPad, alguns livros e fui pro meu paraíso pessoal.

O dia estava lindo, pássaros cantando e aquele sol fraco entrando pelo meu quarto me inspirou a desfrutar apenas do momento presente. Deixei o celular sobre a mesa da sala depois de checar rapidamente minhas redes sociais, sentindo um vazio imenso. Não tinha nada novo, então o guardei na mochila.

Passei uma tarde calma, serena e aconchegante com meus pais e o Freddy. Colocamos o papo em dia, e lá pro fim da tarde fiz algo inusitado: fui até a padaria do bairro sem celular. Pois é. E não, isso não era pra ser inusitado. Pelo menos pra mim.

Isso me tocou de uma forma muito profunda, o que é muito estranho. Desde quando sair sem o celular nas mãos é algo estranho, incomum e inusitado, quase como um ato revolucionário? A que ponto chegamos? Desde quando me tornei tão dependente de um smartphone? 

É verdade que a tecnologia avança para nos auxiliar, mas no momento em que nos tornamos dependentes psicologicamente de um aparelhinho, algo está muito errado. Aplicativos, jogos e redes sociais estão aqui para nos servir, e jamais o contrário. Porém, devo concordar que esse hábito de checar constantemente o feed de notícias, se chegou email e se alguém mandou alguma mensagem já se tornou um hábito para muitos de nós.

A conclusão é que nada de tão importante aconteceu. Sim, chegaram mensagens de amigas lindas, para as quais respondi hoje, pude ler o feed de notícias hoje pela manhã e o melhor: aproveitei um dia inteirinho com minha família, com uma vista linda e com pássaros cantando. Sem fones de ouvido e sem telas brilhantes na minha frente.

Foi bom? Foi demais! E certamente repetirei mais vezes. Só espero que essa desconexão de um dia ou pelo menos algumas horas se torne um hábito, substituindo outros hábitos automáticos que me fazem ficar tão grudada numa tela ao invés de prestar atenção ao meu redor.

E vocês, como lidam com a tecnologia? Estão sempre conectados ou conseguem ficar offline de vez em quando?

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

13 comentários leave one →

  1. Paula

    Olá! Sempre visito o blog mas raramente comento. Também me sinto bem qdo faço um “retiro” de celular de vez em quando. Engraçado que me identifiquei exatamente com vc sobre o vazio inicial, quase uma abstinência.

    Responder
    • É muito estranha a sensação, né? Parece que algo está faltando! E então vejo as redes sociais e não tem nada novo… vai dando uma tristeza! A melhor coisa que fiz foi me desligar, fez um bem danado. E pretendo fazer outras vezes. 🙂

      Beijos!

      Responder
  2. DANIELLE TIMA SIBIN

    Quero fazer isso tbem.
    A meses comecei desligando o wi fi e o 4G para dormir e foi melhor do que pensava.

    #vimdosnap

    Responder
    • Ahh, amei a hashtag #vimdosnap! Vou adotar a partir de hoje 😀

      Não tinha pensado nisso, em desligar a internet pra dormir! Você me deu uma ótima sugestão. Às vezes acordo de madrugada com alguma notificação que esqueci de desligar, acho que vai ser bem melhor desconectar de tudo pra ter um sono melhor.

      Beijos!

      Responder
      • Danielle Tima Sibin

        Exatamente por despertar com as notificações que eu decidi desligar e só ligar a internet pela manhã.
        Meus pais tem uma chácara um lugar bem gostoso e silencioso e quando vou lá não não consigo largar do celular mas não para ficar em rede social, fico com ele pq gosto de fotografar as coisas por lá e só depois postar. Gosto de registrar o processo das minhas verduras na estufa de como elas estão se desenvolvendo.

        Que bom que gostou da #hashtag

        Responder
        • Carol

          Isso! Tento também controlar o impulso de religar logo que acordo. Levanto, tomo meu café da manhã e depois do banho ligo. Muitas vezes somos bombardeadas com notícias desagradáveis e apertos de mente. Manhãs não foram feitas para serem desperdiçadas com coisas bobas assim! 🙂

          Responder
  3. Toda vez que vou para a casa do meu namorado ou que simplesmente estamos juntos eu esqueço completamente que tenho celular. É uma pesquisada aqui e ali, um Snap bobo… e só. Notei isso esse domingo que acordei, deixei o celular no quarto e lá ele ficou até a hora de ir embora que foi quando pensei comigo “nem toquei no meu celular hoje, e isso foi maravilhoso”, se desconectar é ótimo de vez quando, a gente começa a prestar atenção no que tem a nossa volta.

    Responder
  4. Olar, sua linda!

    Então, eu gosto de pensar que a minha relação com o celular é bem equilibrada – mas não é. Passo por momentos em que fico em pânico só de pensar em ficar sem celular, ao mesmo tempo que tem dias que coloco ele em modo avião para que ninguém me incomode. Gosto de me desligar, de vez em quando, e o celular não deixa a gente fazer isso. É um inferno. Portanto acho que todo mundo pode e deve fazer esse detox de vez em quando.

    Precisamos focar mais no presente. (:

    Responder
    • Esse detox é maravilhoso! Consegui prestar mais atenção às pequenas coisas do dia. Deixar o celular dentro de alguma bolsa pode ajudar (comigo não funciona o modo avião porque tiro sem perceber haha).

      Beijos!

      Responder
  5. susany oliveira

    Essa minha necessidade de estar conectada o tempo todo ja vem me incomodando desde o começo do ano. Tenho me desafiado a ficar sem Facebook e Instagram, tem horas que me pego com vontade louca de acessar essas redes sociais mesmo sabendo que não tem nada novo ou útil por lá, e isso tem me trazido benefícios como por exemplo mais tempo para me dedicar a outras coisas que eu gosto.

    Responder
    • É um vício, né? Queremos acessar mesmo sabendo que não tem nada de interessante pra olhar…

      Responder
  6. Andressa

    Olá! Estive buscando algumas informações acerca do minimalismo e acabei caindo aqui. E que grata surpresa!
    Me identifiquei muito com várias coisas, principalmente com a

    Responder
    • Olá, Andressa! Que felicidade te ver por aqui. Espero que esteja gostando do conteúdo.
      Volte sempre!

      Responder

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)