Cotidiano

Mudando meus hábitos com a Netflix

05/03/2017

Mudando meus hábitos com a Netflix - Camile Carvalho

Ultimamente tenho repensado muita coisa na minha vida e uma delas foi analisar meus gastos com serviços que não ando usando muito, quando cheguei na Netflix. A verdade é que eu quase não assisto filmes e continuo pagando a mensalidade, mas resolvi dar uma chance ao serviço e ficar por mais um mês com a condição de me comprometer a assistir pelo menos os documentários que eu tinha marcado como interessantes por lá. Não sou muito de me prender a filmes, mas tudo relacionado a saúde, meditação, astros e desenvolvimento pessoal me chama muito a atenção.

Comecei então minha jornada com os documentários (hoje é meu terceiro dia) e estou gostando de mudar um pouco minha rotina e criar novos hábitos antes de dormir. Se antes eu ficava no computador – muitas vezes navegando à deriva por sites e redes sociais – agora estou aproveitando pelo menos uma hora do meu tempo assistindo documentários que me fazem bem, me trazem conhecimento ou simplesmente uma nova visão sobre determinado assunto.

Séries

Não sou muito de assistir a séries (ainda bem que não peguei esse vício!), pois gosto de assistir com a minha família, então até que todos consigam se reunir pra assistir algo no Netflix, demora… as últimas séries que acompanhamos juntos foram House of Cards e The Crown, que por sinal são muito boas e que recomendo a quem quer entender um pouco sobre os arranjos políticos nos EUA (claro, de forma fictícia) e sobre a vida da Rainha Elisabeth, respectivamente. Eu sei que quem é rato de Netflix já deve ter assistido, mas muitos amigos meus sequer ouviram falar em House of Cards, então fica aqui a minha indicação.

Documentários

Os últimos documentários que assisti – nos últimos dois dias – foram From Fat to Finish Line e Free the Mind. Tão inspiradores que no dia seguinte que assisti o primeiro me  matriculei pela manhã na academia e corri meus primeiros 20 minutos da vida. Okay, eu já estava com vontade de voltar a me exercitar, mas isso apenas adiantou a promessa da segunda-feira eu começo. Free the Mind é tão bom, principalmente pra mim, que trabalho com Yoga e Meditação, que chorei litros durante o documentário e me motivei a buscar mais sobre os efeitos da respiração na nossa mente. Se vocês tiverem interesse, posso destrinchar mais o documentário num post mais adiante explicando melhor os pontos da neurociência e da meditação.

Agora quero saber o que vocês andam assistindo de inspirador. Qual foi o último documentário ou filme que te fez parar e pensar sobre a vida? Compartilhe aqui comigo, estou em busca de inspirações (de preferência que estejam no Netflix). 🙂

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

comentários via facebook

8 comentários leave one →

  1. Cristiane

    Sim, Camile. Estou na mesma situação, pago e não assisto. Sempre que puder, poste essas dicas. Verei esse segundo que você me indicou. Fiquei bem interessada.

    Responder
    • Oi Cristiane! Free the Mind é ótimo, recomendo!

      Eu resolvi criar uma nova página aqui no blog lá no menu RECOMENDO » DOCUMENTÁRIOS com a lista dos que estou assistindo e aos poucos pretendo fazer resenha deles aqui no blog (aí vão aparecer os links das resenhas). Pode acessar por aqui também: http://camilecarvalho.com/documentarios

      Ah, e aceito sugestões também, se tiver algum legal, compartilhe comigo! 🙂

      Beijos!

      Responder
  2. Lucia

    Assista ao documentário HAPPY, que tem mudado a vida de milhares de pessoas em todo o mundo. Pesquisas mostram que depois de atendidas as necessidades básicas, como ter abrigo e alimento, a felicidade não depende MESMO de quanto dinheiro você tem, se recebe um pequeno salário ou se é alguém muito rico. Filme emocionante, bem-feito, que nos mostra o que é que tem importância de verdade na vida.

    Lembro do livro do médico Drauzio Varella, no qual relata seu trabalho no acompanhamento de pacientes terminais. Antes de partir, NENHUM deles se lembra de casas, carros, roupas ou aparelhos tecnológicos e sim de pessoas e relacionamentos, afetos e desafetos, arrependimentos como não ter aproveitado melhor a vida, com simplicidade e perto das pessoas que a gente quer bem, ou não ter perdoado mais ou, enfim, não ter constatado, ainda que tarde, que as melhores coisas da vida… não são coisas.

    Espero que aproveitem a dica.

    Um beijo e parabéns pelo blog!

    Responder
  3. Happy é maravilhoso! Me fez repensar muitos aspectos e valorizar mais as pequenas coisas!
    Recomendo SUPER! 🙂

    Responder
  4. Nathalia

    Eu estou assistindo um muito bom que se chama Hungry for change. Só não sei se tem no netflix do Brasil pois estou fora. Mas vale a pena procurar pra assistir.

    Responder
  5. Ana Paula

    O Começo da Vida deveria ser obrigatório por lei a todos que lidam com crianças e, principalmente, quem vai ser pai ou mãe.
    Achei muito interessante, destacando a importância do afeto e das relações na construção da personalidade.

    Responder
  6. Pâmela

    Olá!!!
    Muito obrigada pelas dicas… vou assistir o que sugeriu!!!
    O último que assisti foi “Isso Existe – um filme sobre Sri Prem Baba”. Gosto bastante dele… foi bom ouvir um pouco da sua história!

    Responder

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)