Casa & Energias

Mapas Mentais: O que são?

03/05/2011

Mapas Mentais: O que são? | Camile Carvalho

Desde que escrevi no post anterior sobre os Mapas Mentais, recebi e-mails e mensagens pelo twitter pedindo por maiores informações. Resolvi fazer um resumo sobre essa técnica fantástica de memorização e aprendizado, assim como suas aplicações no dia-a-dia.

Mind Maps® é uma marca registrada por Tony Buzan, criador e autor de diversos livros publicados pela editora Cultrix. Buzan conta em seus livros que desde criança gostava de aprender e anotar tudo, mas ao chegar à adolescência, estudar se tornou uma tarefa árdua, pois tudo era muito confuso devido ao excesso de informações, e foi quando descobriu que quanto mais anotava, pior ficava sua memória. Ele então começou a sublinhar palavras-chave em vermelho e escrever ao lado o que era mais importante, e a dificuldade no aprendizado reduziu consideravelmente. Estudando sobre psicologia, descobriu que durante o processo de aprendizagem ocorrem constantemente a Associação e Imaginação no nosso cérebro, além de descobrir que Da Vinci utilizava imagens, códigos e rabiscos em suas anotações para aflorar a criatividade. Ele então desenvolveu um método que dava liberdade para o cérebro funcionar melhor deixando fluir as idéias a fim de favorecer o aprendizado utilizando os dois hemisférios e não apenas um como costumamos fazer nas nossas monocromáticas anotações com canetas esferográficas.

Como fazer seu Mapa Mental?

Deixando a teoria de lado, vou explicar como colocar em prática a elaboração do seu mapa e dar alguns exemplos baseados nos meus.

Primeiramente vamos pegar o material: Uma folha de papel em branco e canetas coloridas. Pode ser lápis de cor, hidrocor ou até mesmo sua coleção de canetas hidrográficas. Particularmente eu prefiro usar hidrocor e canetas hidrográficas.

Há algumas regrinhas básicas a serem seguidas, apenas pra facilitar o processo de associação, como por exemplo escrever todas as palavras em CAIXA ALTA e evitar usar mais de uma palavra-chave por tópico. Isso facilita lembrar das palavras quando precisamos, por exemplo, durante uma prova ou nos faz lembrar melhor da sequência de informações a serem desenvolvidas no caso de uma palestra.

Preparado pra começar? Então vamos lá:

  1. Pegue a folha de papel em branco. Com uma caneta (de preferência preta) escreva no centro do papel em caixa alta o tema principal do seu Mapa Mental. É a partir dele que vão surgir os tópicos em suas ramificações.

  2. Faça a primeira ramificação. Pegue qualquer cor e faça uma linha em direção ao topo direito da folha de papel e escreva o item a ser desmembrado. Lembre-se que ao ler um Mapa Mental sempre usamos o sentido horário e começamos na posição que seria equivalente a 1 hora num relógio analógico até darmos a volta completa.
  3. Use a criatividade. Deixe que seu cérebro lhe diga o que fazer com as informações. Se é um resumo de um capítulo de livro, por exemplo, releia o texto enquanto cria as ramificações espontaneamente. Não há uma regra de como fazer um resumo ou como você deve colorir seu mapa. Deixe que sua criatividade flua, pois é através da criação que seu cérebro vai associar as informações.
  4. Desenhe, mesmo que seja ridículo. Está fazendo um resumo sobre o Descobrimento do Brasil pra sua prova de história e teve vontade de desenhar uma girafa em algum tópico? Desenhe. Pode parecer ridículo ou sem sentido algum, mas é por esse motivo que você vai se lembrar na hora da prova da girafa vermelha que você desenhou no canto esquerdo do papel quando falava sobre Pedro Álvares Cabral. Deixe seu cérebro associar as informações do jeito dele, confie em mim, você nunca mais vai esquecer de um assunto se tiver desenhado algo bem surreal. A verdade é que nós buscamos lógica em tudo, mas não é assim que nossa mente funciona.

Minha experiência com os mapas são as melhores possíveis. Se eu os tivesse conhecido durante minha primeira graduação, não teria passado tanto sufoco decorando noite adentro anatomia, fármacos, procedimentos cirúrgicos e aquele cansativo RISPOA, que só quem faz Inspeção Sanitária sabe como é cansativo. Atualmente pretendo guardar da minha segunda graduação apenas os meus Mapas Mentais e os textos de apoio digitalizados. Pra isso tenho uma pasta catálogo onde guardo meu material de referência e os mapas de resumos de matérias. É impressionante como, mesmo em semestres seguintes, só de olhá-los já lembro da matéria, sendo possível dar uma boa explicação do conteúdo.

Mapas Mentais: O que são? | Camile Carvalho

Para os ligados à tecnologia, há diversos softwares para criar Mapas Mentais online ou no próprio computador, mas particularmente prefiro participar do processo de fazer, pintar, escrever manualmente. Vai levar um bom tempo até que eu me renda ao meio digital em relação aos meus queridos mapas.

E você? Já conhecia os Mapas Mentais? Conte aqui em baixo, nos comentários, como é sua experiência e aplicação.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

Comments closed.