Por aí, Veganismo

Minha experiência com feiras veganas

24/10/2016

Camile Carvalho na feira vegana Veg Borá - Leve por aí

Quem me conhece sabe o quão caseira eu sou. Passeio bom pra mim é aquele que inclui uma livraria, um barzinho ou café pra sentar, bater papo com amigos ou passear ao ar livre num dia tranquilo. Agitos e baladas são quase um item riscado do meu caderninho, mas não sei por qual motivo – talvez falta de vontade mesmo – demorei pra começar a frequentar feiras veganas.

A primeira que fui, foi a Veg Borá, que aconteceu em Vila Isabel, aqui na zona norte do Rio de Janeiro. Era sua segunda edição e contou com alguns estandes de bolos, tortas, cachorro-quente e a famosa coxinha de jaca. Em poucos minutos após minha chegada eu já sabia que viraria frequentadora.

Uma das sensações mais gostosas é estar em um ambiente cercado de pessoas que compartilham energias semelhantes, que estão ali, não por acaso, mas pelo simples fato de ter algo em comum. Nenhum encontro é obra da sorte, acredito que tudo tem um porquê e que ao longo de nossa jornada vão acontecendo arranjos e rearranjos, como uma grande teia na qual seus pontos de contato são os grandes encontros da vida.

Feiras veganas | comuna botafogo - camile carvalho - leve por aí

Participar de feiras veganas me fez perceber como muitas pessoas – antes desconhecidas – vibram na mesma frequência. Conhecer projetos ambientais, de proteção aos animais e por uma alimentação com menos crueldade só mostra que há muita gente do bem espalhada pelo mundo. A energia das feiras veganas que tenho frequentado é maravilhosa. Olhar ao redor e ver 10, 20 ou 50 estandes de famílias em prol de um bem maior é realmente gratificante. É perceber que o que antes eu vivia, no meu cantinho, muitos também compartilham.

Tenho ido a várias feiras veganas aqui no Rio de Janeiro e pretendo, em breve, participar de algumas outras por aí (quem sabe Sampa?). Já fiz boas amizades, daquelas que quando chego já vou cumprimentar. Já sinto falta de alguns colegas que por algum motivo não montaram o estande em alguma feira. Dou feedback no evento seguinte quando experimento o shampoo em barra, a linguiça vegana, os óleos essenciais… E assim, vou conhecendo novas pessoas, ampliando meu círculo de amizades e trocando ideias sobre bem-estar e sustentabilidade.

Feiras veganas | santuário seitoku - camile carvalho - leve por aí

Sei que nem todos os leitores são veganos ou vegetarianos, mas isso não importa pra mim. Minha felicidade é que, se vocês estão aqui, neste espaço, lendo cada post que escrevo é porque têm algo em comum, se identificam com o que escrevo, compartilham da mesma energia. Assim me sinto nesses eventos: grata por ter encontrado um espaço onde sinto que a energia é tão legal, que quando dá a hora de ir embora, a vontade é que o próximo chegue logo.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

comentários via facebook

6 comentários leave one →

  1. Eu ainda não tive a disciplina necessária para parar de comer carne – eu sou MUITO picky eater e torço o nariz (e o resto da cara inteira) pra boa parte de vegetais e outros ingredientes veganos. A coxinha de jaca, por exemplo, me pareceu um negócio BIZARRO. Todas as minhas esperanças estão depositadas nessas receitas que todo mundo jura de pé junto que imita perfeitamente o gosto e a textura da carne.
    Enquanto eu tenho medo de não conseguir adaptar minha alimentação e excluir carne, eu admiro muito o espaço que produtos veganos têm conseguido no mercado! Não sei como são essas feiras, mas pra mim o grande defeito desses produtos é o preço, que costuma ser um pouco (ou muito) mais caro. Mas, do jeito que as coisas estão indo, logo logo os produtos veganos vão ser super populares, e finalmente fazer parte do dia a dia de todo mundo! <3

    Responder
    • Acredite, Marcela, eu sempre torci o nariz pra coxinha de jaca até experimentar. Nunca comi algo tão gostoso (e sim, é salgada haha).

      O mais legal de uma alimentação vegetariana é que, na verdade, gastamos bem menos que uma alimentação com carne. Geralmente o que encarece o prato é o preço da carne. Agora, os industrializados é que são, assim como os de carne, mais caros. Salsicha, linguiça etc realmente encarecem um pouco a compra. Mas é aquilo, né? Não é tão saudável, então eu compro esses produtos só de vez em quando mesmo. E sim, estou torcendo pra que se tornem mais populares, assim o preço com certeza vai cair mais.

      Beijos! <3

      Responder
  2. Precisamos combinar que a atmosfera carioca acaba ajudando. Mas é sempre legal trocar ideias e conhecer pessoas novas, com a mesma sintonia de pensamento. Já como coxinha de jaca, e é excelente !

    Grande abraço, Camile.

    Responder
    • Com certeza, a atmosfera daqui é ótima (apesar de que eu também amo a vibe de Sampa). Coxinha de jaca é uma delícia, sou apaixonada!

      Beijos!

      Responder
  3. Eu nunca fui numa feira vegana/vegetariana, mas imagino que deve ser uma experiência muito legal. Já pulo de alegria quando encontro uma barraca vegetariana ou com alguma opção vegetariana. Frequento muitos lugares não-vegetarianos e estou ficando muito feliz porque percebo que começam a usar ingredientes mais naturais, temperos preparados na hora. Tenho a impressão de que essa atmosfera vai crescer e melhorar ainda mais.

    Responder
    • Olha, é muito bom! Saber que está em um lugar no qual se pode comer de TUDO! *-*

      Também acho que essa onda de alimentação mais saudável/veg/orgânica está crescendo e isso é bom demais! Estamos começando a repensar nosso prato, o que ingerimos e relacionando a alimentação com a saúde. Espero que ganhe mais visibilidade a cada dia e que os produtos mais saudáveis consigam ganhar espaço pra reduzir o preço também. 🙂

      Beijos!

      Responder

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)