Ensinando através de exemplos

02/08/2015

gandhi

Há uma história sobre Gandhi que diz mais ou menos o seguinte:

Certo dia uma mãe acompanhada de seu filho foi ao encontro de Gandhi para pedir-lhe um favor. Muitos tinham esse costume, de fazer pedidos – alguns possíveis, outros um tanto difíceis – e Gandhi a recebeu para saber do que ela precisava.

– Por favor, Mahatma Gandhi, peça ao meu filho que não coma tanto açúcar. Ele come muitos doces e não me escuta quando digo que não lhe faz bem à saúde! Talvez você consiga o convencer!

– Por favor, senhora, volte daqui a uma semana.

Sem compreender, mas também sem questionar, a mãe foi embora com seu filho. Após uma semana a mãe estava de volta, e pediu novamente a Gandhi que conversasse com o garoto.

– Menino, não coma doces demais. Açúcar faz mal ao organismo, não é saudável.

A mãe lhe agradeceu, mas continuou intrigada com Gandhi por causa do pedido.

– Por que me pediu que voltasse uma semana depois? Podia ter-lhe dito o mesmo semana passada!

Quando Gandhi respondeu:

– Não podia dizer o mesmo, minha senhora. Semana passada eu ainda comia açúcar.

❤❤❤

Esta história foi contada ontem em uma palestra que participei e me fez refletir muito sobre a necessidade de sermos um exemplo daquilo que queremos ensinar. Será que podemos transmitir algo que não experimentamos? Será que podemos servir de modelo de algo que não vivemos no dia-a-dia?

Quando escrevi um post sobre convencer pessoas a adotarem seu estilo de vida, falei sobre a importância de vivermos a nossa vida de acordo com o que gostamos e acreditamos, sem tentar convencer ao outro a adotar também. E, se precisamos ensinar algo a alguém, que seja através da inspiração e não apenas baseado em palavras vazias, sem a experiência.

Seja a inspiração de alguém através de seus atos e não discursos. Se você quer mostrar como ser uma pessoa melhor, seja essa pessoa melhor. Se quer ensinar sobre o amor, experimente viver uma vida de amor.

E você, o que vai experimentar viver hoje?

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

8 comentários leave one →

  1. Be Ferreira

    Também acredito nisso. Nunca fui fã do “faça o que digo, não faça o que faço”.
    Podemos ter agido de uma forma e aprendemos com nossos atos, mas acredito que precisamos ponderar nossos discursos e atitudes com as pessoas que nos cercam.
    Belíssimo post 🙂

    Responder
    • Obrigada, Be!

      Concordo com você. Pra ensinarmos algo, devemos primeiro vivenciar. 🙂

      Abraços!

      Responder
  2. Sem dúvidas devemos viver primeiro antes de tentar passar alguma coisa. Mas não acho que seja fácil. As vezes me pego falando de coisas que nem tenho tanta experiência assim.
    Acho que o “escute mais do que fala” acaba valendo nesse caso, não é mesmo?!
    Bjinhos,

    Responder
    • Com certeza é difícil, mas acho importante tentarmos aplicar tantos ensinamentos legais que encontramos por aí, pra transmitir com mais propriedade. Claro que ninguém é perfeito, mas se algo é tão bom (e digno de conselho), por que não aplicarmos em nossas vidas também, né? 😀

      Beijos!

      Responder
  3. Bella

    Que lindo post! Que maneiramais suprr de comecar a semana! Agora despeco-me pois tenho de comecar a ser exemplo 🙂 beijo!

    Responder
  4. Cida

    Olá Camile estou experimentando viver com menos. Ou melhor só com o necessário.
    Depois que conheci seu blog estou modificando aos poucos meu estilo de vida.
    Tenho consciência que leva tempo e dedicação mas eu já dei o primeiro passo.
    Obrigado por compartilhar seu conhecimento conosco bjs.

    Responder
  5. Gosto muito disso! É o agir pelo não agir… a coisa simplesmente flui de você e você inspira as pessoas a se tornarem melhores SENDO! 🙂

    Adorei a historia!

    Responder
  6. Fernanda Rocha

    Eu sempre fui muito de despejar meus problemas em cima dos amigos mas estou aprendendo a não fazer isso. Estou aprendendo a passar coisas boas, a mostrar para eles que é possível passar por momentos ruins com força. Para desabar, chorar, faço sozinha em casa de noite. Mas para as outras pessoas estou experimentando passar só coisas boas. Vamos ser exemplos para outras pessoas tb.

    Responder

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)