Simplicidade

Declutter Passo a Passo

21/06/2014

Como fazer um declutter? Tenho recebido muitas perguntas sobre como se planejar e dar o pontapé inicial. Algumas pessoas, na empolgação, acabam escolhendo um armário inteiro para começar, e acabam não dando conta depois de tanta papelada, lixo e materiais a serem organizados. Pensando nisso resolvi organizar minha papelada de estudos e fazer um pequeno guia de como me organizo para fazer um destralhamento sem estresse. Já aviso que este será um post longo e com muitas fotos, espero que gostem!

1) Material de apoio e preparação do ambiente

É mania minha, mas eu gosto de varrer o chão antes de começar um declutter pelo simples motivo de que ficarei boa parte sentada e jogarei toda a “tralha” ali. Coloco uma boa playlist de músicas inspiradoras pra tocar, dependendo do meu humor do dia e separo o material necessário para lidar com a papelada:

  • Grampeador – sempre tem papeis para serem grampeados
  • Evernote – tiro muitas fotos e arquivo documentos ali. Uso o celular para isso, mas vocês podem usar tablets ou usar o próprio scanner ou câmera digital.
  • Sacolas de lixo
  • Papel e caneta – anote todas as ideias que surgirem em sua mente em relação ao material que está sendo manipulado.
  • Post-its – são ótimos para anotarmos lembretes durante a organização
  • Água e/ou petiscos.

2) Começando

Com o chão limpo e todo o material necessário em mãos, é hora de tirar tudo do local que vai ser organizado, seja uma parte da escrivaninha, do armário ou uma gaveta. Não tenha dó, faça uma grande pilha com todo o conteúdo e respire fundo, é hora de encarar um por um. No meu caso, como resolvi destralhar a parte da minha escrivaninha que guardo meu material de estudos, vocês verão muitas apostilas e cadernos nas fotos.

obs.: Há um tempo eu postei sobre não usar papeis na faculdade, mas eu acabei não me adaptando tanto. O que faço é anotar as aulas no Evernote e tirar xerox das apostilas que os professores disponibilizam para os alunos. Em uma faculdade em que o Wi-Fi não funciona bem, fica muito complicado depender 100% da conexão para abrir arquivos escaneados em PDF do Dropbox. A vantagem é que o Evernote funciona offline para anotações, e quando entro em um ambiente com conexão, ele automaticamente sincroniza o banco de dados.

obs2.: Uso alguns cadernos para anotações dos meusestudos, mas não para o dia-a-dia na faculdade. Servem mais como um “backup” das matérias mais importantes que eu utilizarei em alguns concursos da área. Assunto para um outro post, certamente.

3) Organizando

Depois e formada a pilha, é hora de categorizar cada item, um por um. Começo sempre pelo que está no topo, sem pular nenhum objeto e vou formando pilhas imaginárias ao meu redor. Livros, apostilas importantes e cadernos são materiais de referência. Papeis que não preciso mais ficam na pilha de descarte/reciclagem. Cadernos em branco que nunca usei e não preciso ou pastas/divisórias de fichário, vão para a pilha de doação. E assim por diante.

É normal no começo formarmos várias pilhas de itens que não sabemos ao certo como classificá-los, mas um segundo processamento nos faz refletir melhor se aquele papel que pensamos em guardar é realmente necessário ou se aquela revista vai para a pilha de escanear ou doação. Não se preocupe se ainda não está muito claro como montar suas pilhas, pois à medida em que vamos manipulando cada material, conseguimos categorizar melhor e refletir a importância de cada um deles. No meu caso, por exemplo, classifiquei o quadro de horários da faculdade como importante, mas numa segunda olhada percebi que já sei os horários das aulas e depois do recesso da Copa não será mais necessário.

4) Finalizando

Depois de muito refletir sobre cada pilha que havia formado, consegui chegar ao resultado final:

  • Materiais para processar – papeis que desejo ter escaneado e guardados no meu Evernote.
  • Materiais de Referência – livros, cadernos e apostilas que não quero me desfazer
  • Papeis para reciclar
  • Materiais de apoio – pastas de diversas formas e folhas de plástico (catálogo)
  • Doação (na frente) – divisórias de fichários antigos que não uso mais (o único fichário que uso tem divisórias transparentes padronizadas)

5) Materiais diferentes

Durante a organização me deparei com materiais que não são de referência, mas que ainda não posso descartar por ainda precisar usá-los para fazer provas em julho. Os separei em uma pasta em L e deixei na minha gaveta da escrivaninha, já que é um material que vou usar bastante por um tempo determinado e depois provavelmente vou escanear e guardar no Evernote para futuras referências, descartando a cópia em papel.

Também me deparei com comprovantes de matrícula e outros documentos da faculdade, que costumo guardá-los em uma pasta transparente destinada a documentos importantes. Antes eu possuía uma pasta catálogo imensa, mas percebi que não havia necessidade de tanto. Por enquanto minha demanda é apenas por uma pasta pequena, na qual guardo CPF, Passaporte e documentos da faculdade e trabalho misturados por serem poucos.

É normal, sempre que faço um declutter – seja onde for  – eu me deparo com papeis em branco que não vou destinar à reciclagem. Mantenho uma pasta transparente em L na qual guardo todo e qualquer pedaço de papel em branco que possa ser usado como rascunho. Gosto muito de escrever minhas ideias e nem sempre quero usar meu caderno de anotações para isso. Costumo manter uma ou duas folhas na bolsa quando vou pra aula, pois mesmo fazendo anotações no Evernote acabo sempre precisando de um lugar pra escrever algo. Papeis de rascunho são coringas, servem desde uma lista de compras até para entregar alguma atividade feita em sala de aula.

Para guardar o material a ser processado (que comentei lá em cima), peguei uma das pastas que sobrou na pilha de material de apoio. Agora tenho separado e definido um lugar que vou ter que avaliar assim que tiver um tempo. Para não esquecer, já anotei a tarefa na minha lista de afazeres e em breve vou processar tudo o que está ali para analisar se realmente preciso escanear o conteúdo ou se descarto de uma vez. No declutter que faço como o de hoje, prefiro não perder tempo analisando e escaneando cada papel, apenas é uma organização e registro do que deve ser feito. Se eu fosse ainda pensar sobre cada papel da pasta e escaneá-los, acabaria desviando o foco do destralhamento.

6) Material de Referência

Mantenho uma pasta catálogo para guardar textos importantes que provavelmente usarei em várias disciplinas da graduação até a pós. Este, por exemplo, é do primeiro período e já o usei em outras três disciplinas. Como eu falei antes, alguns prefiro guardar também em papel já que nem sempre tenho conexão para acessar os arquivos em PDF quando preciso. Quando sei que utilizarei o texto na aula seguinte, apenas removo a pasta de plástico do fichário. Assim protege sempre o material na bolsa/pasta e fica mais fácil de guardar novamente.

7) O Resultado

Eu sei, todos gostam de ver o antes e o depois, e por isso registrei a parte do armário antes de fazer o declutter. A primeira foto foi feita no dia anterior, quando senti a necessidade de uma organização urgente. É normal, por mais que façamos vários destralhamentos, acabamos acumulando e bagunçando tudo no dia-a-dia. Papeis chegam até nós sem percebermos, o que não é do lugar acaba ficando por ali por comodidade e só percebemos como havia coisas demais quando comparamos os resultados.

Antes

Depois

Um ambiente muito mais clean e organizado, além de eu ter a consciência do que preciso fazer a partir de agora com o material a ser processado (escaneado e descartado) que não aparece na foto – falha minha – mas foi colocado sob a pilha da esquerda. A verdade é que agora não preciso olhar o tempo todo pro objeto para lembrar-me de que preciso tomar alguma atitude sobre ele, mas sim, olhar para minha lista de tarefas na qual tem tudo anotado.

Eu sei que foi um post longo e agradeço a quem chegou até o final. Desculpem pela quantidade de fotos, mas quis registrar o passo-a-passo pois sei que muitos gostam de acompanhar e de inspirarem com a organização dos outros. Eu mesma sou assim! No início do meu blog eu costumava fazer esse tipo de post bem explicadinho, mas com o tempo acabei perdendo esse hábito. Será que vocês gostam? Vou tentar escrever mais dessa forma.

E vocês, fizeram algum destralhamento recentemente? Contem aqui nos comentários deixando o link para fotos ou posts (quem é blogueiro) para compartilhar suas organizações também!

Obrigada pela visita!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

5 comentários leave one →

  1. Acabei de fazer um destralhamento no material da faculdade. Como o período para mim já terminou, quis fazer logo para não deixar acumular. Como sempre muito papel foi para o lixo e guardei algumas apostilas, como você, para ver depois, juntamente com cada período passado. Meu próximo destralhamento será nas revistas, ano passado fiz um, mas agora tem várias novamente. Adoro ver as fotos do antes e depois, dá um alívio e nos incentiva a fazer em nossas casas.
    Beijos e sucesso!

    Responder
    • Que bom que fez um destralhamento, Josy! E ver as fotos do antes e depois é muito bom, também sempre me incentivo com blogs que mostram como ficou depois da arrumação.
      Beijos!

      Responder
  2. Luane

    Bem interessante!
    Eu preciso fazer um declutter de materiais da VIDA, já que tenho papéis aleatórios de mais de 5 anos atrás.

    Mas vou começar pelos da faculdade, hehe. Vou usar a ideia do Evernote para os papéis de seminários 🙂

    Responder

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)