Artigos sobre » Yoga
Yoga

Há riscos de praticar yoga em casa?

24/03/2016

Perguntas e respostas: há riscos de praticar yoga sozinha?

Hoje estou iniciando uma nova fase aqui no blog, cada vez mais voltado a ajudar aos outros e principalmente, relacionado à prática de yoga, e pra dar início a essa nova era, abri uma sessão de perguntas e respostas para que vocês tirem suas dúvidas sobre a prática de yoga, meditação e assuntos relacionados.

A primeira pergunta que vou responder é da Grazyelle Fonseca, que deixou o comentário no meu vídeo do YouTube. Como é um questionamento muito comum, resolvi dar prioridade e explicar alguns pontos importantes sobre Yoga. Vamos lá?

“Ainda não pratico yoga, mas tenho me concentrado bastante nas coisas e busco sempre harmonizar minhas energias. E, pelo o que entendo razoavelmente (inclusive, o seu vídeo ajudou a esclarecer muito), os pilares da yoga servem justamente pra isso. Você havia indicado o hatha-yoga para iniciantes. Mas, tenho insegurança de praticar os asanas sozinha porque quando há uma pessoa instruindo existe uma troca maior de conhecimento e atenção à postura. Há riscos de praticar sozinha? Quais seriam? Quando você começou a praticar também foi sozinha?” – Grazyelle Fonseca

Esta é uma pergunta muito comum que sempre recebo e é muito importante primeiro esclarecer alguns pontos, como: o que é, para vocês, praticar yoga.

Uma prática de yoga pode ser feita de muitas maneiras. Podemos apenas nos sentar no tapetinho e meditar, trazendo a concentração para a respiração e acalmando a mente. Podemos também praticar Pranayamas (respirações específicas), assim como podemos fazer as posturas (asanas). E, é em relação às posturas que devemos prestar mais atenção com a forma que vamos fazer. Portanto, a resposta para a pergunta se há riscos de praticar em casa é sim e não. Depende do jeito que você for praticar. Vou explicar melhor.

Dentre as diversas posturas que o yoga nos oferece, temos uma série que vai trabalhar com nosso alongamento, outras com torções, flexões para frente, para trás, posturas de equilíbrio e invertidas. Se você nunca praticou Yoga e vai começar em casa, é indicado que comece por algumas posturas mais simples, como aquelas que alongam o corpo, que trabalham a permanência, algumas flexões e equilíbrios. O risco começa quando vamos tentar torcer além do que estamos acostumados e fazer invertidas.

Cuidados durante a prática de yoga sem acompanhamento

  • Se você tem pressão alta, evite posturas que levem a cabeça abaixo do coração.
  • Se você não tem costume de flexionar a coluna para trás, evite posturas que forcem, principalmente se tiver algum problema de coluna. Prefira flexões para frente, já que somos mais acostumados no nosso dia-a-dia.
  • Não faça invertidas se você está começando a praticar agora. Ficar de cabeça pra baixo pode ser empolgante, mas prefira começar depois de um bom tempo de prática e acompanhado de um professor para corrigir o alinhamento e a pressão sobre os braços e pescoço.
  • E o principal “mantra” do yoga: se sentiu alguma dor, volte. Yoga não é feito para sentirmos dores, mas sim, contentamento e felicidade nas nossas práticas.

Ouça seu corpo. Respeite seus limites

Se você ouvir bem seu corpo e respeitar seus limites, sua prática será segura. Começar pela Hatha Yoga é uma ótima forma de entrar neste mundo encantado, e sentir os benefícios da prática. Não se cobre demais, não tente atingir um objetivo, apenas respire lenta e profundamente durante a prática, mantenha a mente focada e tente observar as sensações do corpo e as emoções que surgem. Não há riscos em começar uma prática em casa, contanto que respeitemos nossos limites. Tem um post aqui no blog com indicações de livros para iniciantes.

Quanto à pergunta se eu comecei em casa, não, eu nunca havia praticado Yoga até me inscrever numa aula na faculdade. Ali foi meu primeiro contato, com uma instrutora e a partir dali levei a prática para minha casa, nos dias em que eu me sentia agitada, triste ou ansiosa. Na época (2003) via o Yoga apenas como uma terapia, um remédio que eu poderia fazer quando precisasse. No entanto, conheço professores que iniciaram suas práticas em casa e depois foram para um estúdio praticar com um professor. Cada um tem seu jeito de iniciar, é como um chamado.

Minha dica é pesquisar locais que oferecem aulas perto de casa e assistir uma aula experimental. Converse com os professores, tire as dúvidas, pois uma prática em casa é bem diferente de uma prática guiada.

Se você tem vontade de praticar em casa, siga seu coração e comece agora. Os riscos estão apenas quando não ouvimos nosso corpo e ultrapassamos nossos limites.

Tem uma pergunta sobre Yoga? Deixe aqui nos comentários ou escreva para yoga@camilecarvalho.com

Yoga

Entrevista pro #Sangha365 – Ilhabela yoga

30/09/2015

ilhabela-Camile

Olá, pessoal, tudo bem? Hoje venho trazer mais novidades a vocês. Faz algumas semanas que a equipe do Ilhabela yoga entrou em contato comigo me convidando pra participar do projeto #Sangha365, que consiste em unir 365 instrutores de yoga ao redor do Brasil, além de fazer uma pequena entrevista com cada um a respeito do yoga. Não preciso dizer que fiquei super animada em participar!

Ontem, terça feira, meu perfil foi publicado lá no site deles, junto com minhas respostas às 3 perguntas que me fizeram sobre o que significa yoga pra mim, meus livros preferidos e qual mensagem eu passaria aos professores de yoga. Achei super bacana participar deste projeto, pois assim também posso conhecer mais profissionais e aprender com cada um deles.

Pra acessar o meu perfil no projeto, basta clicar aqui para entrar na página do Ilhabela yoga. Confiram as respostas que dei sobre yoga pro projeto:

#Sangha365

O que é yoga para você?

Quando fiz minhas primeiras aulas, ainda na faculdade, descobri que o yoga era uma prática que me trazia bem-estar, concentração e tranquilidade. Com o tempo, fui percebendo que yoga era muito mais do que eu imaginava, mas ainda não conseguia compreender sua dimensão. Ao fazer meus ásanas, pranayamas e meditações com a consciência de que aquele momento era especial, me encontrava em um estado que perdurava além do tapetinho, e hoje compreendo o yoga como um estilo de vida. Ter responsabilidade com o planeta em que vivemos, compaixão com todas as formas de vida e consciência de que não somos apenas um corpo físico, mas sim parte de um todo muito maior me faz perceber que o yoga está presente em tudo o que me cerca. Hoje compreendo que tudo é yoga, depende apenas de como olhamos para o mundo ao nosso redor.

Quais são os seus livros preferidos de yoga?

Um dos primeiros livros que me indicaram quando comecei a buscar compreender mais sobre yoga foiAutoperfeição com Hatha Yoga, do Professor Hermógenes. É um livro com linguagem simples e bem didático para quem está iniciando sua prática e deseja compreender um pouco mais. Além deste, há dois livros que me marcaram muito, que foram Xamã do Tibet: Milarepa, do Ódio à Iluminação e Autobiografia de um Iogue, de Paramahansa Yogananda. Estes dois mostram bem o que é ser um yogue e me ensinaram muito sobre como buscar ser uma pessoa melhor.

Qual a sua mensagem para os instrutores de yoga do Brasil?

Se eu pudesse passar uma mensagem aos instrutores de yoga no Brasil, seria um pedido. Jamais parem de estudar, de buscar, de aprender. O yoga como um todo é um poço de conhecimento o qual quanto mais cavamos, mais água cristalina encontramos. E numa época em que o yoga está se popularizando, principalmente através das redes sociais, é necessário que se mantenha uma certa tradição e seriedade na condução de uma prática, ainda que haja uma flexibilidade de adaptação das aulas à realidade brasileira. Que todas as práticas sejam baseadas em Ahimsa, o princípio da não-violência. E que cada instrutor possa transmitir aos seus alunos a importância de amar seu próprio corpo e respeitar seus limites.

Namastê! <3