Artigos sobre » Veganismo
Veganismo

Sobre produtos Cruelty-Free e Veganos

31/05/2013

Como eu já havia falado, eu resolvi fazer uma mudança na minha vida. Sei que nossa cultura é muito baseada na exploração animal e é muito difícil atualmente viver sem causar prejuízo algum a eles, pois não temos a total percepção do quanto eles estão presentes no nosso dia-a-dia, seja em corantes, seja em um simples elemento nos perfumes ou até mesmo na alimentação.

No entanto, acho que podemos ter a consciência de ao menos reduzir esse impacto. Optar por uma marca que não teste em animais é uma opção viável. Há raros casos em que somos obrigados a consumir de uma determinada marca, já que a concorrência é ampla e sempre haverá uma alternativa melhor devido à livre competição entre as empresas.

Eu não sou vegana, sou apenas vegetariana. Porém, decidi buscar, aos poucos, utilizar produtos de cosméticos que sejam Cruelty-Free, ou seja, de empresas que não utilizam o teste em animais em nenhuma das etapas de produção. Darei preferência também a produtos Vegans, que são aqueles que, além de não utilizarem animais para testes durante a produção, também não possuem componentes derivados de animais em suas fórmulas. Uma coisa é diferente da outra, podemos ter um produto Cruelty-Free, mas que seja feito a base de leite, por exemplo, logo, ele não seria vegano.

Não sou radical, mas tenho uma preocupação enorme quanto a esse tema. Como Médica Veterinária acompanhei muita coisa e, sinceramente, fica difícil fechar os olhos para o sofrimento de outro ser vivo apenas para o prazer de, por exemplo, ter um batom da moda.

Como eu disse, o mesmo batom vermelho de uma empresa que realiza testes em animais, certamente existirá em uma outra empresa que não realiza tais testes. É apenas uma questão de escolha e não de abstenção. Continuarei tratando minha pele, usando minha maquiagem, pintando minhas unhas, mas com produtos mais seletos, e é por isso que estou abrindo essa nova categoria aqui no blog para falar dos produtos que eu tenho usado e que fiquei satisfeita. Não se preocupem, pois também falarei daqueles que não deram certo comigo. Minha opinião aqui será a mais sincera possível, pois não tenho a intenção nenhuma de falsear informações.Os posts que indicam produtos e alimentos serão sinalizados de acordo com a classificação: Vegetarianos, Veganos ou Cruelty-Free.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Veganismo

Liberdade animal – Pelo direito à vida

22/01/2013

Liberdade animal - Pelo direito à vida | Camile Carvalho | #camilecarvalho

Às vezes me pego pensando o quanto nós, seres humanos, passamos por cima da nossa compaixão com outros seres vivos em prol de nosso conforto e beleza. É revoltante que ainda hoje existam empresas de cosméticos que realizam testes laboratoriais em animais, e foi pensando nisso que decidi dar um passo mais à frente nesse ano de 2013, dizendo não a esses produtos. Não postarei imagens aqui nem farei campanha alguma, mas qualquer leitor que queira saber mais sobre como são realizados tais testes, basta procurar no Google que encontrará muita informação. Preparem o estômago.

Não é a primeira vez que tenho esse tipo de preocupação. Durante minha graduação como Médica Veterinária, passei por diversas disciplinas e palestras que me colocaram em contato com essa triste realidade, da qual muitas vezes não temos informações suficientes. Conhecer de perto todo o procedimento de abate (como deveria ser vs. como na realidade é) e da tecnologia de produtos de origem animal (P.O.A.) juntamente a outros motivos, me fez optar pela alimentação vegetariana. Porém, ainda há muitos fatores que ainda me incomodam, os quais muitas vezes é mais fácil ignorar do que encarar uma mudança em nossa própria rotina.

Nesse início de ano estou refletindo sobre o quão importante é estabelecer um paralelo do que pregamos com as nossas atitudes. Falar que é contra testes laboratoriais em animais e continuar utilizando o cosmético da empresa que faz isso, apenas por não se preocupar na hora da compra, me fez refletir o quanto eu podia estar sendo hipócrita, o que me levou a estabelecer um novo desafio e tomar algumas atitudes.

Há muitos anos eu, como Médica Veterinária, defendo o bem-estar animal e apoio essa luta que reune milhares de pessoas pelo mundo. Mas do que adianta apoiar uma causa passivamente se não começamos a mudança em nós mesmos? Sei que cada um tem o seu ritmo, e todos podemos começar aos poucos, prestando mais atenção na hora da compra de cada produto.

Essa semana eu tomei a decisão de não comprar mais cosméticos de empresas que testam em animais, optando assim por produtos veganos (que não possuem ingredientes animais em sua composição) e cruelty free (selo concedido a empresas que aboliram tais testes). Como meu shampoo e sabonete já eram de uma marca que tem essa preocupação, comprei meu condicionador e o creme de hidratação seguindo tais características. Além de não causar sofrimento a animais de laboratório, um produto desse tipo é – na maioria deles – mais natural, sendo livres de parabenos, derivados de petróleo, gordura animal, formol e outras químicas pesadas.

Minha meta em 2013, portanto, é deixar de usar em meu corpo qualquer produto que cause em seu processo industrial algum sofrimento aos animais, e irei fazer tal mudança por partes. Já consegui solucionar meus cosméticos de higiene do banho, como shampoo, condicionador, sabonete e creme de hidratação (que utilizo uma vez por semana) e já notei uma diferença no meu cabelo. O próximo passo será com maquiagens e esmaltes. Pretendo substituir o máximo que eu conseguir por produtos veganos, e irei pesquisar a empresa antes de comprar.

Sei que é praticamente impossível viver sem causar mal a nenhum outro ser vivo (ainda não consigo me alimentar apenas de luz solar), mas acho importante nos tornarmos conscientes do que nos alimentamos e do que utilizamos. Minha vaidade e meu cuidado com a beleza não pode passar por cima do bem estar de outros seres vivos. Sei que é muito difícil, mas eu vou tentar fazer a minha parte. Sem radicalismos, mas com determinação.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr