Artigos sobre » Veganismo

Feira Vegana Veg Borá – 3ª edição

19/09/2016

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Aconteceu, no último domingo (18), a terceira edição do Veg Borá no Rio de Janeiro, evento gastronômico vegano idealizado por Ysis Neves. Com entrada gratuita e quitutes com o valor máximo de R$ 20, a feira contou com a presença de marcas de cosméticos sustentáveis, livros sobre vegetarianismo e claro, muita comida boa.

A diferença entre a segunda edição e a terceira foi enorme: enquanto a anterior foi realizada em um espaço pequeno, contando com alguns estandes distribuídos em dois andares, esta ocorreu em um espaço amplo do ginásio esportivo da Associação Atlética de Vila Isabel, o que permitiu uma quantidade maior de expositores e visitantes.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Outro ponto positivo desta edição foi a reserva de um ambiente com mesas e cadeiras para que pudéssemos nos sentar e comer com calma. Na anterior, talvez a organização não tivesse previsto o grande sucesso do evento e não havia muitas cadeiras nem bancos, o que fez com que alguns visitantes comprassem a comida e logo fossem embora por não terem onde descansar.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Estande do Not Dog: nenhum animal precisa sofrer!

Entre os visitantes havia um público bem diversificado: veganos, vegetarianos, pessoas em busca de uma alimentação mais saudável e alguns curiosos que, mesmo não adotando a dieta vegetariana, aproveitaram o evento para conhecer e experimentar os lanches oferecidos. É o caso do engenheiro André Dias que, mesmo não sendo vegano, se identificou com a causa: “Considerei o evento bastante interessante, com alternativas, principalmente no aspecto alimentar, para uma  vida mais saudável demonstrando que podemos viver bem sem o sacrifício de outras vidas”. Sobre a organização, fez uma ressalva: “faltou maior número de barracas de bebidas e o ambiente era muito quente. Por ser um evento predominantemente alimentar, é necessário que haja uma maior ventilação”.

Apesar das ressalvas, provavelmente na próxima edição esses detalhes serão levados em consideração. Como dito anteriormente, a diferença do evento anterior para este foi muito grande, com muitas melhorias, e tenho certeza de que na próxima teremos muitas surpresas positivas.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

O evento também teve atrações diferentes, como o Desafio Ograno, no qual o participante tinha 3 minutos para comer um hambúrguer ogro vegano com o prêmio de R$ 100. Também teve o sorteio de uma tattoo no valor de R$ 300 feita por Luiz Calixto, tatuador vegano que utiliza apenas tintas sem ingredientes de origem animal.

Outra novidade é que o Veg Borá promoveu, em parceria com o Raiz Sustentabilidade, a coleta seletiva e destinação dos resíduos gerados no evento para a reciclagem. Tal ação gerou trabalho e renda para a cooperativa de catadores e promoveu a conscientização em relação à responsabilidade social e educação ambiental de seus visitantes.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Estande do acarajé vegano: um sucesso!

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Estande da Veg Fit: industrializados veganos.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Chopp artesanal, uma boa pedida para refrescar.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Produtos da marca ALIV: óleos essenciais e produtos para a pele.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Opções de sucos vivos e cafés especiais

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Equipe do Âme Ecostore: produtos veganos e cruelty-free de qualidade.

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Eu e Cláudia Pequeno, amiga e aluna de yoga

Feira Vegana Veg Borá 3ª edição » por Camile Carvalho #leveporaí

Amigos que encontrei pela feira vegana

A próxima edição do Veg Borá ainda não tem data divulgada mas certamente estarei lá cobrindo o evento e mostrando com mais detalhes as novidades veganas, cruelty-free e do bem para vocês. Mais uma vez parabéns aos organizadores, por levarem a consciência de que sim, podemos viver de forma a promover o bem-estar a todos os seres vivos.

Até a próxima!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Veganismo

Receita: mousse de mamão vegana e funcional

30/07/2016

Receita de mousse de mamão vegana e funcional | Leve por aí

Essa mousse de mamão vegana e funcional já está virando um queridinho aqui em casa. Feito apenas com dois ingredientes, mamão e linhaça, é uma ótima pedida pra quem está fazendo reeducação alimentar ou apenas quer comer uma sobremesa gostosa. Ela fica com uma textura de mousse e deve ser servida preferencialmente bem gelada.

Ingredientes

  • 1/2 mamão formosa
  • 50 gramas de linhaça (2 colheres de sopa) ou farinha de linhaça
  • 100 ml de água

OPCIONAIS:

  • açúcar mascavo ou qualquer outro adoçante
  • folha de manjericão pra enfeitar

Receita de mousse de mamão vegana e funcional | Leve por aí

Como fazer

Coloque a água para ferver numa panela com a linhaça dentro e vá mexendo em fogo baixo até virar um gel. Enquanto isso, bata o mamão no liquidificador até virar uma pasta.

Assim que formar o gel da linhaça, peneire (caso esteja usando a semente) para usar apenas o gel. Se estiver usando a farinha de linhaça, não há a necessidade de peneirar, já que não altera muito o sabor. Junte o gel no liquidificador e bata mais um pouco até formar uma pasta consistente e gelatinosa.

Caso queira adoçar, adicione açúcar mascavo ou qualquer outro que preferir e experimente pra testar o ponto certo.

Coloque em potinhos e leve à geladeira. Para servir, pode enfeitar com uma folha de manjericão por cima pra dar um toque especial. Além de ficar uma delícia, é uma sobremesa funcional – junta as propriedades do mamão com as da linhaça – e ainda é vegana. Para meio mamão formosa o rendimento é de 4 potinhos.

Receita de mousse de mamão vegana e funcional | Leve por aí

DICA: O gel de linhaça pode substituir as receitas que usam gelatina incolor, o que é uma ótima ideia para vegetarianos e veganos, já que a gelatina é extraída do tutano do boi, ou seja, não é um ingrediente vegetariano. O gel de linhaça contém vitaminas e serve pra dar a liga em várias receitas – além de ser muito bom pra passar na pele e cabelos. Experimente!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

Documentário: Fat, sick & nearly dead

07/12/2015

Todos sabem que o blog acompanha bem as fases da minha vida, e isso é muito bom, pois reflete muito quem sou e o que estou buscando no momento e estou empolgada em assistir alguns documentários inspiradores pelo Netflix. O escolhido do dia foi Fat, Sick & Nearly Dead, de Joe Cross, um australiano que desenvolveu uma doença autoimune provavelmente relacionada ao seu estilo de vida nem um pouco saudável.

Com uma alimentação cheia de frituras, gorduras e muito açúcar somado a uma vida sedentária, Joe Cross decidiu fazer uma mudança na sua vida (reboot) quando sua doença autoimune (urticária crônica) passou a se manifestar de forma mais intensa, fazendo com que Joe aumentasse a quantidade de medicamentos e sofresse ainda mais com os efeitos colaterais.

Foi nesse momento que Joe teve o insight de que somos o que comemos, e que sua má alimentação poderia estar piorando seu quadro de urticária. Depois de consultar 6 médicos que lhe disseram que o quadro era grave e poderia piorar, Joe decidiu enfrentar o desafio de “reiniciar” seu sistema fazendo um jejum de 60 dias apenas se alimentando de suco verde e de frutas naturais enquanto gravou o documentário Fat, Sick & Nearly Dead (gordo, doente e quase morto). Ao longo da trajetória, Joe relata as melhorias que teve em seu colesterol, triglicerídeo, autoestima e disposição, além da redução da gordura de forma visível.

Este é um daqueles documentários que nos inspiram bastante a repensar como estamos nos alimentando. Mesmo que não queiramos fazer um desafio reboot, nos faz enxergar que somos o que comemos mesmo, e que podemos mudar alguns hábitos alimentares reduzindo o que não nos faz bem e adicionando mais sucos verdes e naturais na nossa alimentação.

Joe Cross fez o desafio de 60 dias devido ao seu estado crônico e riscos cardiovasculares, mas recomenda o de 7 dias para todos que queiram experimentar como é se alimentar com micronutrientes, ou seja, aqueles  nutrientes que nossas células mais precisam. Mas calma, não joguem as panelas de lado agora! Consulte primeiro um médico e faça um check-up geral para ver como anda sua saúde antes de fazer qualquer mudança brusca na alimentação.

Assistam o documentário e depois me digam o que acharam.

Quem já assistiu? 

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr