Artigos sobre » Saúde
Saúde

Os benefícios da água morna com limão

05/08/2015

Ayurveda: os benefícios da água morna com limão » Vida Conectada

Dentro da medicina tradicional indiana (Ayurveda) há uma prática muito interessante de beber, todos os dias ainda em jejum, um copo de água morna para “despertar” o corpo. Em termos mais técnicos, se diz que esta prática desperta o jataragni, que é o fogo digestivo, que junto com as gotas de limão elimina toxinas, chamadas de ama.

Variações podem ser feitas de acordo com o dosha/biotipo (que explicarei melhor num próximo post), como adicionar uma pitada de sal dos Himalaias (para os vata) ou um fio de mel quando a água começa a esfriar (para os kapha), mas o mais comum é apenas a água morna com o limão. Os benefícios são diversos, desde inibição da fome, eliminação de toxinas (detox) até a alcalinização do organismo, ajudando assim na prevenção da instalação de doenças.

Segundo a Ayurveda, um organismo ao ficar mais ácido se torna vulnerável a problemas, facilitando assim o desequilíbrio do corpo. Já um sistema mais alcalino previne que doenças se desenvolvam, sendo a água morna com limão um ótimo aliado para nossa saúde.

Não há muito mistério: basta uma xícara de água morna com algumas gotas de limão (eu costumo espremer meio limão) e beber ainda em jejum. Há quem não consiga ingerir água morna, por causa da sensação de enjoo que pode proporcionar (geralmente quem tem o biotipo pitta), mas pode-se começar com a temperatura ambiente até acostumar. Aos poucos vamos nos adaptando e com a rotina o chá se torna prazeroso.

Ao ingerirmos a água morna ainda de manhã, nosso organismo desperta aumentando o peristaltismo (contrações e movimentos) do trato gastro-intestinal, fazendo com que se prepare melhor para um café da manhã mais caprichado. Além disso, a mistura também age no sistema imunológico, além do limão conter vitamina C, o que ajuda na prevenção de gripes, melhora e clareia a pele, elimina o mau-hálito combatendo inflamações nas gengivas e dentes, entre tantos outros benefícios.

Mudar a rotina pela manhã pode ser a chave para diversas outras mudanças. Com uma alimentação melhor e práticas diferentes de higiene – afinal, elimina toxinas do organismo – podemos encarar o dia com mais disposição e energia. O ideal é reservar alguns minutos ao acordar para estar no momento presente, e no meu caso aproveito o momento de beber a água morna para estar comigo mesma por alguns minutos. Quem tem um tempinho a mais na rotina pode aproveitar para emendar com a prática matinal de yoga ou sentar-se para uma meditação. Tenho certeza que os dias serão mais plenos ao reservar um momento pela manhã para cuidar mais do seu bem-estar.

E você, já conhecia esta prática ayurvédica? Conte sua experiência!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Saúde

Pare de sabotar sua corrida!

03/08/2015

Pare de sabotar sua corrida » Vida Conectada » #vidaconectada

Quem me acompanha nas redes sociais sabe que estou num novo projeto de corrida. Na verdade, não posso ainda dizer que é um projeto para me tornar uma corredora, pois não tenho uma pretensão maior de conseguir correr por quilômetros sem parar, ou numa maratona. Minha meta é simples: manter uma rotina mais saudável e trabalhar meu sistema cardiovascular – evitando aquele cansaço quando acabamos de subir escadas.

Estou usando um aplicativo pra iPhone muito legal que se chama 5K Runner (depois falarei mais sobre ele) que ajuda a começar devagar, com pequenas corridas entre longas caminhadas até aumentar gradualmente o ritmo e chegar a 5 quilômetros de corrida. Por enquanto estou nas fases iniciais e curtindo bastante a experiência. Mas não é exatamente sobre meu sucesso inicial na corrida que vim escrever hoje. Muito pelo contrário.

Desde que comecei com este projeto, fui agindo num impulso. “Hoje está um dia lindo, então vou correr“, “hoje está frio, vou ficar mais um pouco nas cobertas” e mais dezenas de desculpas que muitos se identificarão e hoje não foi diferente. Apesar do dia lindo, um sol brilhante e convidativo, enrolei o máximo que pude ponderando se ia ou não, se ficaria cansada, se… se…

Novamente num impulso calcei meu tênis, peguei meu tapetinho de yoga e chamei o elevador, e lá estava eu novamente num impulso, indo correr.

Nos primeiros minutos o aplicativo nos indica para caminhar (aquecimento). Mas foi no instante que ele apitou e avisou que era o momento de correr, pensei “vou correr só esta primeira etapa (de 8) e depois vou ficar só caminhando, acho que hoje não vou conseguir correr tudo”.

Vocês leram bem?

“Acho que hoje não vou conseguir correr tudo”.

E então identifiquei vários erros na frase que minha mente insistia em me falar. Vamos por etapas.

1. Acho – Baseado em quê eu achei que não conseguiria? Eu tinha tentado? Não. Vivemos achando isso, achando aquilo e certeza que é bom, nada. Chega de achismos!

2. Hoje – Se eu consegui a semana passada inteira, por qual motivo justo hoje eu não conseguiria? Acordei, estou viva, saudável, me alimentei, nada que prejudicasse minha saúde tinha acontecido, mas justo HOJE eu não estaria bem? Muito pelo contrário. Hoje estou melhor que ontem e amanhã estarei melhor que hoje!

3. Não vou conseguir – Nem vou comentar sobre a negatividade que isso tráz. Tenho um professor que sempre nos fala: risquem não vou conseguir e vou tentar do dicionário de vocês. E ele está certo! Poxa, eu estava nos primeiros 10 minutos já dizendo que não aguentaria? Nada disso!

4. Correr – Isso sempre foi um problema desde a minha infância. Quando fui diagnosticada com um pequeno problema no coração ainda na infância, todos evitavam que eu corresse. Aos meus 17 anos resolvi entrar na academia pra valer e fiz um check-up geral cardíaco, quando o cardiologista disse que meu problema era apenas falta de condicionamento físico, que aquilo que eu tinha não influenciava em nada. E é um trabalho constante romper uma crença limitante e dizer a mim mesma que o médico está certo e que eu sou capaz.

5. Tudo – Dizer que não vou conseguir correr tudo é se contentar com o mais ou menos. Mal comecei a correr e já estou prevendo que não conseguirei completar o percurso? Oras, eu nem sou vidente! Se no meio da corrida eu não conseguir e parar, é uma coisa. Fiz o que pude. Mas no começo já falar que não vou conseguir dar o melhor de mim?

Pensei, refleti, e quando percebi, já tinha corrido.

Correndo 3K na esteira do prédio » Vida Conectada » #vidaconectada

E finalizei o percurso de 3Km, como programado.

E vocês, também passam por isso quando vão encarar algum desafio? Conte pra nós aqui nos comentários!

obs.: antes que perguntem, meus exames estão todos em dia, cuidado ao começarem algum exercício físico. Sempre consultem um médico. 😉

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Saúde

Voltando a me exercitar

14/07/2015

voltando-correr

Do que você precisa para dar o primeiro passo? Quando será o momento ideal para dar impulso àquele projeto que vem adiando há anos?

Faz um tempo que não estou muito satisfeita com meu condicionamento físico. Apesar de ser praticante de yoga e estender meu tapetinho quase diariamente, sentia que me faltava algo. Eu queria correr, mas não tinha coragem/ânimo/motivação.

Por um bom tempo fiquei postergando essa decisão, mesmo quando minha amiga me chamava para correr com ela. Eram desculpas atrás de desculpas. Um dia estava frio. Outro dia, calor demais. Falta de tempo (este é a vencedora das desculpas) e tantas outras, que eu sempre adiava para a próxima segunda-feira. E isso me fez pensar que na verdade eu não queria, de fato, começar um novo exercício físico, mas apenas tinha consciência de que seria bom pra minha saúde.

Hoje, porém, agi diferente. Acordei cedo, tomei um café da manhã equilibrado enquanto o sol entrava pela minha janela. Pássaros cantavam e então lembrei-me de que tinha esse desejo no meu subconsciente há um bom tempo, mas que nunca mais tinha dado uma chance. Ponderei se seria a semana ideal, se não seria melhor deixar para a próxima segunda-feira, se… se…

Mas, ao invés de sentar-me ao computador, como de costume, num impulso peguei minha calça, meu tênis e me vesti. Minha mente continuava trabalhando na autossabotagem, me dizendo que eu tinha um projeto de pesquisa para ser entregue, que eu perderia tempo, que isso, que aquilo, mas simplesmente deixei que tais pensamentos virassem apenas tagarelices e não dei muita atenção a eles. Em alguns minutos eu estava fora de casa correndo enquanto ouvia minha música preferida (I Believe – SOJA). Ao terminar, novamente aquela voz – que no momento já estava se tornando irritante – voltou a me falar sobre o tempo, sobre os compromissos, sobre tudo o mais, mas novamente não me importei muito com o monólogo da minha mente, estendi o tapetinho de yoga e comecei minha prática após ter corrido e caminhado por 25 minutos, ali mesmo, na academia do prédio.

Eu tenho um projeto de pesquisa pra terminar? sim.

Eu tenho trabalhos a serem feitos com um prazo? sim.

Eu estaria trabalhando neles naquela lacuna de tempo que “perdi” correndo e praticando yoga? não.

Como eu disse no Instagram, “não espere o momento perfeito pra começar. Pare um pouco de ponderar se deve ou não dar o primeiro passo. Levante e faça!”

E você, o que faz quando quer realizar algo mas falta motivação? Conte pra gente!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr