Artigos sobre » Inspiração

Guru Marpa: sobre o conhecimento

07/08/2014

Milarepa: Livre do Sofrimento

“Você pediu conhecimento. Devo adverti-lo que os ganhos do conhecimento não são céu nem inferno. O conhecimento rasga os mistérios sobrenaturais que se formam, ocupando os espaços para a consciência do ser humano. Conhecimento é o iluminador e na luz, não há nenhuma sombra ou oposto, nem bem, nem mal.” – Guru Marpa

Texto extraído do livro Milarepa, do ódio à iluminação

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Inspiração

5 coisas que me inspiram

09/12/2013

junho-553

Eu adoro listas, já usei o Listography algumas vezes, mas acabo rascunhando mesmo em papel. Hoje vou compartilhar 10 coisas que me inspiram quando quando me dá um bloqueio criativo ou fico cansada demais de fazer tudo da mesma forma de sempre…

1. Curtir a natureza: Não tem nada melhor pra renovar as energias do que ir pra um parque ou floresta, respirar o ar puro, ouvir os pássaros cantarem e relaxar. Quando eu morava em Sampa, costumava ir a Pindamonhangaba ficar hospedada na casa de amigos. Era inspirador acordar com o barulhinho do rio passando ao lado da janela…

2. Caminhar na praia: Sempre que vou pra Itaipuaçu (RJ), costumo tirar um dia pra caminhar na praia. Faz tempo que não pedalo, mas pretendo consertar minha bike. Enquanto isso, faço algumas caminhadas, sento na areia e observo o movimento do mar.

3. Ir a um shopping bem movimentado: Contrariando os dois tópicos anteriores, também gosto de sentar na praça de alimentação de um shopping cheio e prestar atenção nas pessoas que circulam. Dali saem alguns questionamentos sobre o ser humano, sobre a vida, e como sempre ando com um caderninho na bolsa, fico escrevendo algumas reflexões.

4. Ouvir música: A música tem o poder de mexer completamente com nossas emoções. Agora mesmo, por exemplo, estou escutando uma playlist no 8tracks enquanto escrevo esta lista. Pra ouvir músicas aleatórias, gosto do 8tracks e do superplayer.

5. Sair com amigos: Minhas amigas são tão animadas e tão divertidas, que mesmo não estudando mais juntas, gostamos de nos reunir em algum barzinho, shopping ou pizzaria e passar a noite conversando, tendo ideias e fazendo planos pra projetos futuros. Sempre saio dos encontros com novas ideias borbulhando e super feliz em reencontrá-las.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

Compro de quem faz

01/11/2013

Compro de quem faz | Blog Camile Carvalho

Século XVIII – Revolução Industrial. Todos conhecem um pouquinho do que foi este movimento. As máquinas substituindo os trabalhadores, os produtos sendo feitos em larga escala entrando em uma competição desleal com os manufaturados e hoje, grandes indústrias tomaram a frente da maior parte da produção, tirando a chance dos pequenos artesãos.

Foi pensando na valorização destes pequenos produtores que um grupo de artesãos se uniram e iniciaram o movimento Compro de Quem Faz. Através de seu Manifesto, os artistas tentam apoiar o trabalho manufaturado, tendo a chance de  lutar contra a hegemonia do consumo atual, que se baseia na compra de produtos de grandes corporações.

Comprando de quem faz, temos a consciência da procedência do produto e valorizamos o trabalho do profissional além de termos a chance de adquirirmos um produto personalizado. É também uma forma de reduzirmos a compra de produtos feitos de forma exploratória, que não temos a total consciência, mas que é real. Trabalho escravo existe e é uma realidade também no Brasil.

Muitos podem achar que um produto artesanal é mais caro que um industrializado, mas não é uma regra. Eu, por exemplo, após procurar muito por uma carteira menor e mais leve pra andar na bolsa – já que a minha era grande e pesada – encontrei o que procurava em uma feirinha de artesanato por R$15, feito pela senhora que me vendeu, diferente das que eu já havia visto nas lojas, a mais em conta saindo por R$30. É uma questão de escolha, de procurar, de fazer uma compra consciente e sustentável.

Eu apoio este movimento de valorização dos pequenos artesãos. Vamos reduzir um pouco nossa ânsia de consumo por industrializados? Quem sabe você não encontra aquilo que queria na feirinha de artesanato da sua rua ou pede a alguma costureira fazer aquela saia que você tanto quer? Vamos dar uma chance aos artesãos e artistas ao nosso redor?

Conheça mais o movimento: Site | Facebook

E você, já comprou algo de quem faz?

O Vida Minimalista apoia este movimento!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr