Artigos sobre » Inspiração
Inspiração

A influência dos ciclos da natureza

26/11/2016

A influência dos ciclos da natureza - Camile Carvalho

Desde que passei a prestar mais atenção aos ciclos da natureza e seus efeitos na minha vida, me conectei ainda mais com uma energia circular, uma espiral, que tem início, meio, fim e recomeço. Quando ficamos mais atentos às estações do ano, podemos perceber em nós alguns comportamentos que acabam se repetindo de acordo com o tempo, clima e ciclo da terra.

O período de inverno geralmente está relacionado à reclusão. É aquele momento em que nos fechamos em nossas conchas e remoemos tudo o que tem acontecido nos últimos meses. Pela diminuição da luz do sol provocando dias mais curtos, somos levados à sensação de querer ficar em casa, aconchegante e recolhido nos nossos pensamentos.

Inverno é aquela época em que algumas pessoas podem se sentir mais tristes, mas o importante é ter a consciência de que vai passar. Realizar leituras, encontros com amigos, aproveitar pra estudar algo novo é sempre bom pra acabarmos com a tristeza, procrastinação e falta de vontade de realizar nossos projetos.

Quando entra a primavera e o verão se aproxima, começo a sentir uma energia de expansão. Quero distribuir, compartilhar, crescer. Minha mente fica fervilhando de novas ideias e planos futuros, como se o sol fosse o combustível necessário para realizar tudo que eu gostaria de realizar. E é!

Nosso estilo de vida fez com que nos afastássemos demais dos ciclos da natureza, do conhecimento sobre as influências astrológicas, da energia da lua e do sol. Acabamos nos desconectando de algo que por milhares de anos, nossos ancestrais cultivavam e observavam. E esse desconhecimento faz com que não compreendamos algumas fases pelas quais passamos, emoções e sentimentos que temos em cada época do ano. E então vamos mergulhando num embolado de sentimentos que não conseguimos decodificar, o que poderia ter sido muito mais simples caso praticássemos a autoobservação para obtermos o autoconhecimento.

Os ciclos estão lá, são fixos, salvo algumas alterações comuns. Nós fluímos através deles nos recolhendo, nos expandindo, frutificando e observando. O que nos resta é ter a consciência de que estamos todos juntos nessa mesma dança e aprendermos a fluir conforme a música.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Inspiração

GiveBox SP – vamos apoiar essa ideia?

21/10/2016

Quando recebi um email sobre o projeto do financiamento coletivo GiveBox – SP (obrigada, Fernanda!), fiquei super animada em vir aqui no blog compartilhar com vocês essa ideia que já existe em várias cidades pelo mundo está prestes a chegar ao Brasil. Vocês sabem que eu sempre falo aqui sobre doar o que não nos serve mais e esse projeto tem tudo a ver com essa energia de desapego.

O projeto

GiveBox é um projeto que estimula o desapego, ajuda ao próximo e promove o descarte consciente. Através de uma casinha construída em algum ponto estratégico do bairro, moradores da região podem deixar ali o que não precisam mais e também pegar o que precisa, sendo um facilitador de trocas, além de promover uma ocupação diferente do espaço público.

A ideia partiu de duas meninas, Camila e Luana que, inconformadas com a quantidade de lixo gerado e com o descarte não-consciente, pensaram em trazer a ideia do GiveBox pra São Paulo. A proposta é tornar, além de um ponto de trocas, um ambiente de encontros, fortalecendo assim o senso de comunidade e de altruísmo.

GiveBox SP: um projeto social - Leve por aí por Camile Carvalho

GiveBox está presente em várias cidades espalhadas pelo mundo e é um sucesso!

Como ajudar?

O projeto GiveBox parte de um financiamento coletivo, no qual recebe doações partindo de 20 reais. No momento em que atingirem o valor mínimo, serão construídas em São Paulo 5 casinhas do GiveBox projetadas especialmente para o projeto no Brasil, que vem dando certo em vários países.

Troca-troca

O conceito de troca já está chegando no Brasil através de grupos no Facebook, como o Free Your Stuff São Paulo, que promove trocas de objetos, roupas e utensílios que estão parados na casa de alguém, mas que terão serventia com outra pessoa.

GiveBox SP: um projeto social - Leve por aí por Camile Carvalho

Você pode se informar melhor sobre o projeto no site do projeto e através da página no Facebook. Vamos ajudar?

fonte das imagens: Facebook do projeto GiveBox SP

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Inspiração

5 dicas para escrever melhor

14/10/2016

Como escrever melhor? 5 dicas - Leve por aí por Camile Carvalho

Eu amo escrever. Acredito que quanto mais escrevo, melhor consigo colocar no papel – ou tela – meus sentimentos, pensamentos e reflexões. Escrever bem não é apenas estar dentro das normas gramaticais da língua, mas também conseguir colocar em palavras aquilo que está dentro de nós.

Frequentemente recebo comentários de elogio em relação aos meus textos e, apesar de ficar feliz em saber que estou conseguindo tocar alguém com as letrinhas que digito por aqui, também mantenho meus pés no chão com a certeza de que hoje escrevo melhor que ontem, mas que posso sempre melhorar.

Mas afinal, como podemos melhorar a escrita? O que devemos fazer pra conseguir expressar com sucesso aquilo que sentimos sem embolar as palavras e sem sofrer da famosa síndrome da página em branco, quando olhamos para o papel ou tela e não sabemos sequer como começar?

Hoje vou dar algumas dicas que aplico na minha rotina que podem ajudar você, que deseja escrever melhor tanto na parte da gramática quanto na parte da expressão.

1. Leia muito

Essa dica é uma das que mais leio por aí e não poderia deixar de colocar neste post. Quando lemos bons livros, absorvemos muito o estilo de escrita, aprendemos vocabulário e aprendemos como cada autor coloca em texto suas ideias. Você pode pensar que está apenas prestando atenção na história contada, mas quando lemos, nossa atenção vai além do enredo.

Assimilamos composições de frases, formas de expressão e automaticamente nosso cérebro grava a imagem das palavras mais difíceis. Assim, quando precisamos escrevê-las depois, já temos a ideia de como ela é escrita por termos a associação da imagem dela no nosso cérebro. Sendo assim, dúvidas sobre ç, c ou ss podem ser diminuídas quando estamos acostumados a ler determinadas palavras.

2. Torne sua escrita um hábito

Alguns dos maiores escritores e artistas têm o hábito de escrever todos os dias pela manhã, como um despejo mental de ideias, um esvaziamento de mente. Não precisamos escrever por horas diariamente, mas só de colocarmos no papel algumas ideias diariamente, vamos aprendendo a expressar, através das palavras, aquelas ideias que ficam rodeando nossa mente. A escrita é como a escovação os dentes, não adianta praticar apenas quando precisamos: devemos torná-la um hábito diário. A constância nos ajuda a progredir.

3. Mindfulness

Encontre um lugar adequado para praticar a escrita. Pode ser no seu quarto, escritório, ou até mesmo em um café. Certifique-se de que não há distrações ao seu redor. Para alguns, sons externos são extremamente dispersantes, mas há pessoas que gostam de um ambiente movimentado para ativar a criatividade. Encontre o seu local preferido e mantenha sua atenção plena naquilo que está fazendo.

Aproveite a atenção plena e feche todos os aplicativos do seu computador ou notebook e mantenha o foco apenas na página em branco à sua frente. Se estiver usando caderno, tente não se distrair com muitos objetos sobre a mesa e deixe aquele seu estojo cheio de canetas de lado. Manter o foco total no que está fazendo ajuda a escrever melhor e mais rápido.

4. Fone de ouvido e música

Para mim, uma combinação perfeita é ouvir música no fone de ouvido enquanto escrevo. Gosto de usar fone grande, que elimina os ruídos externos para uma melhor concentração e sempre uso o mesmo álbum pra tocar. Prefira músicas instrumentais e calmas, já que podemos nos distrair com as letras – principalmente quando estamos ouvindo aquela música preferida. Playlists com músicas de relaxamento, reiki e meditação podem ser encontradas facilmente no youtube.

5. Brainstorming e Mapas Mentais

Brainstorming, também conhecido como tempestade de ideias nada mais é que pegar um papel em branco e escrever tudo que vem na mente relacionado ao assunto que você deseja. Depois de escrever todas as ideias, sem julgamento e sem racionalizar muito, você poderá organizar os pensamentos e fazer uma lista ou mapa mental com eles, organizando e selecionando o que será útil.

Na escrita, quando temos o bloqueio criativo, podemos pegar um tema que já escrevemos – como no caso de um blog – e a partir dali fazer um brainstorming sobre quais outros temas estão relacionados e que podem ser explorados com mais profundidade.

Aqui no blog tem dois artigos sobre mapas mentais (esse e esse) que podem ajudar na organização de novas ideias e a evitar o famoso bloqueio criativo.

Estes cinco tópicos são as dicas que considero mais importantes para quem quer escrever melhor. Claro que poderia listar vários outros, como sempre manter um caderninho na bolsa, a consultar de vez em quando um dicionário para aprender palavras novas e enriquecer o vocabulário e claro, praticar muito. Quanto mais escrevemos, melhor fica o nosso texto. Mantenha um diário pessoal ou use o 750words.com para tornar sua escrita um hábito e você verá o quanto sua escrita vai melhorar a cada dia.

Espero que tenha gostado das ideias e ficaria muito feliz em saber quais outras dicas você usa para melhorar sua escrita. Compartilhe aqui nos comentários!

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr