Artigos sobre » Cotidiano
Cotidiano

O dia em que entreguei meu TCC

16/11/2015

feliz-pulando

Sabe aquela sensação de não saber o que fazer com essa tal liberdade quando entregamos o TCC? Pois é. Estou me sentindo assim.

Estou doente. A gripe não passa, a febre volta constantemente e minha voz? Ah, essa vai embora quando mais preciso dela. Mudança de tempo, vento no peito, tudo isso já passou pela minha cabeça quando tenho uma nova recaída, mas pensando bem, talvez eu só estivesse somatizando todo esse estresse inevitável de fim de pós-graduação.

Sou perfeccionista, e por isso revisava, revisava e nunca estava bom o suficiente. Lembram do que eu falei  no vídeo do último post? Preciso trabalhar melhor isso em mim. Perfeccionismo é bom sim, mas em doses moderadas. Dei uma última leitura, salvei o arquivo e pronto, TCC concluído.

Se está perfeito? Não sei. Não sou perfeita. Mas provavelmente dei o melhor de mim para que ele fosse concluído. Que sensação maravilhosa depois que entregamos algo que estava sendo um grande peso nos nossos ombros, não é mesmo? Estou num momento de conclusão de vários ciclos na minha vida e agora só me resta descansar só por mais 5 minutinhos para reabastecer e encarar de frente os outros compromissos.

Tenho certeza que agora essa gripe estranha vai embora. Talvez eu esteja mesmo somatizando, e como não tive pra onde transbordar, meu corpo não aguentou. Mas logo ficarei bem, tenho certeza. E teremos muitas novidades por aqui que ainda não posso falar, mas que acho que vocês gostarão bastante.

Ah, e por falar em novidades, já viram meu canal do YouTube? Já tem 3 vídeos por lá! Confiram!

Até mais, queridos! E me desculpem por um post totalmente pessoal. Apenas precisava compartilhar o alívio que estou sentindo ao concluir mais um desafio na minha vida. 🙂

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Cotidiano

Apenas. Respire.

14/10/2015

breathe

[respire]

Estou em um momento em que preciso muito me organizar. Tenho TCC da pós-graduação pra escrever, trabalhos da graduação, projetos de yoga e tantas outras coisas menores que somadas, parecem uma grande bola de neve vindo em minha direção. Olho ao meu redor e vejo o caos que está em mim, refletido nos meus objetos sobre minha mesa, minha cama um tanto desarrumada e minha alimentação nem um pouco saudável nos últimos dias.

Sento-me pra meditar e tudo parece melhorar por aqueles instantes, mas logo a preocupação com os prazos, o medo de estar perdendo algo enquanto faço outra coisa e a ansiedade toma conta de mim. Narro tudo isso e lembro que pratico yoga todos os dias, faço meditação zazen frequentemente e não sou acumuladora pra me sentir tão sufocada assim. Talvez as cobranças internas, os desafios que estão surgindo e os prazos estejam tentando me desestabilizar, mas sinto que há algo mais a ser feito. Preciso de, na verdade, uma reestruturação em relação ao modo como estou me organizando.

Estou me sentindo submersa em um pequeno caos que me cerca. Tudo ao meu redor pode até estar sob controle, mas ainda falta algo. Sento, respiro, me acalmo, mas ainda há algo a ser mudado. Quero aquela inspiração de volta, aquela energia que me fez mudar fortemente o padrão de vida que eu vivia até 2010, quando conheci o minimalismo. Quando abri pela primeira vez o editor de textos do blogspot num blog chamado Estudante Minimalista. Ali foi o início de tudo. E eu estava assim, exatamente como hoje. Sufocada, sabendo o que eu deveria fazer, mas sem a energia suficiente, como se tudo que havia ao meu redor me amarrasse de uma certa forma, que eu não conseguia sequer dar o primeiro passo.

reduzir. reduzir. reduzir.

Esta é a palavra do momento em minha vida. Novamente vou precisar estabelecer prioridades, rever o que mantenho comigo, a forma como estou organizando minha vida. Há muita coisa desnecessária sobre minha mesa e às vezes é necessário fazer uma grande limpeza.

Na minha mesa e na minha vida.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr
Cotidiano

Lista: do que estou desapegando #2

25/09/2015

Lista: do que estou desapegando

Há um tempo escrevi aqui uma lista de tudo que eu estava desapegando no momento, e hoje, olhando pra trás e percebendo como estou hoje, refleti sobre o que aprendi a desapegar (e ainda estou trabalhando) no momento.

❤ Aprovação dos outros – juro que é difícil viver sem pensar muito no que os outros vão pensar dos nossos planos, empreendimentos e até mesmo a cor do tênis que resolvemos usar hoje, mas quando começamos a sair um pouco da caixinha, começamos a perceber que o mundo é muito maior do que nosso círculo de amizades e a vida é curta demais para nos preocuparmos com o que os outros vão pensar de nós. É ok ser diferente. É ok não agradar a todos. É ok ser você mesmo, então pra que se preocupar com o que os outros vão pensar? Deixe que julguem. Se estamos trilhando um caminho com amor, dedicação e com um propósito maior, se estamos tentando não machucar ninguém, que mal há em sermos nós mesmos?

❤ Ter o controle de tudo – sempre queremos estar no controle, tanto em relação aos outros quanto em relação a nós mesmos. Se a vida está me levando a um outro caminho, será que não é hora de parar e refletir na possibilidade desse caminho ser melhor? Se os outros não agem conforme desejamos, não é momento de desapegar dessa vontade de querer ter tudo sob nossa direção? Há um movimento no universo que nos leva a caminhos diferentes do que planejamos e uma mudança brusca pode significar novas oportunidades.

❤ Autocobrança – é verdade que quando nos comprometemos com algo, devemos procurar fazer da melhor maneira possível. Mas e quando não conseguimos fazer de forma perfeita? Feito é melhor que perfeito? Estou aprendendo, aos poucos, que perfeccionismo em excesso faz mal. Às vezes deixo de escrever um post pro blog, de responder algum comentário, de entregar algum trabalho na faculdade (sim, já fiz isso!) só porque não teria como fazer de forma perfeita naquele momento. E ao deixar pra depois, quando as condições estivessem mais favoráveis, acabei não fazendo nem perfeito, nem mal-feito.

❤ Papelada – agora falando de algo físico, estou tentando desapegar mais ainda da dependência de papeis. Tento ao máximo usar o meio digital (exceto com caderninhos de anotações) e estou tentando não acumular pilhas de textos, artigos e apostilas na minha escrivaninha. Estou optando sempre pelo formato digital e quando alguém me dá algum papel na rua, trato de deixar no lixo reciclável e não trazer pra casa. Papeis se multiplicam e quando vemos, já estamos novamente fazendo um declutter sem saber como pudemos acumular tanto.

Estes foram alguns pontos nos quais estou trabalhando o desapego. Sei que é um caminho longo, não mudamos um hábito ou forma de pensar de um dia pro outro, mas só de termos a consciência de que precisamos mudar, já nos facilita bastante a adquirir novos hábitos.

E vocês, estão desapegando de quê?

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr