Meditação, Yoga

Quando apenas caminhei e respirei

04/01/2017

Todo dia eu acordo cedo, tomo meu café da manhã e parto em direção à praia, para caminhar, mergulhar e pegar um sol. Gosto deste momento, de entrar em contato com meus próprios pensamentos, mas carrego na minha bolsa de praia meu celular, meu Kindle, protetor solar entre tantas outras coisas. Fico tão entretida com o que carrego na bolsa que esqueço-me de aproveitar o momento presente.

Pensando nisso, fiz um desafio: acordei cedo, como todos os dias. Tomei meu café da manhã às 7:30 como de costume e, deixando o chinelo, bolsa e qualquer outra roupa, parti pra praia sem nada, apenas de biquini.

Caminhei pela areia quente que por alguns instantes começaram a queimar meus pés. Corri até a faixa de areia molhada e iniciei minha caminhada. Apenas eu e meus pensamentos.

Escutei o barulho do mar, do vento, dos pássaros. Apreciei cada detalhe que cruzava meu caminho. Conchas de formatos diferentes – estariam elas ali o tempo todo durante minhas outras caminhadas? Pássaros que corriam sobre a marola de água em busca de pequenos peixes, aves que voavam em bandos… as ondas do mar que, em cada trecho de praia, se comportavam de forma diferente.

Um pescador, um casal de namorados, os peixes nadando, mais uma parada para um mergulho no mar. Cada momento que experimentei foi divino, único.

Sentei-me diretamente na areia em postura de meditação e, com meus olhos semicerrados, pratiquei a meditação zazen. Esvazie-me de mim mesma, encontrei espaço na minha mente tão turbulenta. Abri meus olhos e bem diante de mim só havia o mar, o céu e o sol.

Uma experiência única, que quero viver novamente. Uma experiência de conexão com a Terra, com minha respiração, com o movimento constante das águas em encontro com a areia. E assim, vivendo intensamente o momento presente, me reconectei.

Palavras não são capazes de descrever o que senti, mas posso dizer a cada um de vocês que experimentem a sensação do vazio, do deixar fluir, do poder de estar no agora. Porque a vida é o nosso maior presente, não devemos deixar que ela flua por nossos dedos preocupados com o passado nem com o futuro. Viva o agora.

obs.: a foto foi feita em outro dia. 🙂

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)