O consumismo refletido no meu banheiro

25/07/2016

O consumismo refletido no meu banheiro | Leve por aí

Como alguns estão acompanhando, estou voltando aos poucos ao minimalismo e com isso comecei a fazer alguns projetos de declutter aqui em casa. Fui devagar, começando pelas roupas, planejando um armário inteligente e selecionando alguns sapatos que já mostrei aqui e a sensação de abrir espaço em minha vida está sendo maravilhosa.

Depois da pesquisa que fiz aqui no blog, tive a surpresa de que 92% (por enquanto) das pessoas que me acompanham por aqui têm interesse no assunto minimalismo e são leitores antigos, desde o Vida Minimalista. Isso me deu uma sacudida ~ do bem ~ que me fez questionar, por que saí dos trilhos em relação ao minimalismo, consumo consciente e organização pessoal?

Então, animada, senti-me com gás novamente para fazer uma grande mudança na minha vida, e vocês sabem como é ariano, quando é pra mudar, tem que ser ontem! Aproveitei minha segunda feira livre, em que alguns compromissos foram desmarcados pra começar uma super arrumação por aqui, e resolvi começar pelo banheiro.

Tirei tudo do armário – que estava uma bagunça – e analisei, item por item, o que fica e o que sai. Cremes, produtos vencidos, pentes demais (sim!), produtos de higiene pessoal, um a um, fui analisando o que eu realmente precisava, o que não me servia mais e o que eu poderia passar adiante. No total saíram 3 sacolas: uma de lixo (reciclável, com embalagens de papel e plástico), uma com produtos vencidos/estragados e uma com alguns produtos bons, mas que não me adaptei.

É impressionante como desperdiçamos dinheiro comprando coisas que não precisamos, e o pior, quando temos um semelhante em casa. Toda vez que eu escovava meus dentes pensava “preciso de uma escova nova”, e nessa organização de hoje, encontrei uma embalagem com duas escovas de dentes novinhas perdidas na gaveta. Isso certamente seria mais um gasto de dinheiro e recursos da natureza à toa, e pra quem pensa que são pequenos gastos que não fazem tanta diferença se engana: são esses pequenos gastos de sabonete, escova de dentes etc. que fazem uma diferença no fim do mês – e do ano.

Reservei alguns produtos que estão acabando para dar uma prioridade em seu uso – já havia feito isso no Project Pan, mas muitos já acabaram e outros entraram pra lista – então não sei se faço um novo post com a lista nova ou se simplesmente vou usando.

Mas, o que mais me chamou a atenção, foi quando abri um novo documento no Google Docs e comecei a anotar TODOS os produtos que tenho no banheiro e no meu quarto. Quarenta e cinco. Sim, 45 produtos para uma pessoa só! Fiquei muito assustada com essa quantidade IMENSA de produtos que comprei, que direcionei meu dinheiro para adquirí-los, e que em sua maioria são repetidos. Mas o pior mesmo é o lixo que isso vai gerar um dia, pois à medida em que eles fossem acabando, eu compraria novos sem a consciência de que já tenho muitos outros produtos que poderiam facilmente substituí-los.

Não, não tem como usá-los todos, como aproveitar o melhor de cada um. Não tem como dizer que preciso disso tudo, simplesmente não tem! Sou uma pessoa só, e confesso que ao anotar cada um deles numa lista numerada, me assustei como alguns deles eram facilmente dispensáveis. E esses são aqueles em que comprei em momentos de passeio, de circular por uma loja de beleza ou dar só uma olhadinha em uma farmácia-que-tem-tudo enquanto fazia hora esperando algum compromisso.

Eu simplesmente não preciso disso tudo. Eu não preciso. Mas ao mesmo tempo em que tomei essa consciência e me senti mal, também fiquei muito feliz em ter caído na realidade quanto a isso, pois só assim posso fazer algo para mudar. Já tive esses insights antes, na época do Vida Minimalista e algo me fez sair dos trilhos. Mas como sempre digo por aqui: nunca é tarde, e cada um tem seu caminho e seu momento. Esse está sendo o meu!

Agora, gostaria muito de inspirar a todos vocês que leem este post a fazer o mesmo: anotar cada produto de beleza que tem no banheiro, penteadeira e quarto. Quantos cremes você tem? Quantos produtos que te prometeram milagres mas que depois de um tempo de uso você não percebeu nada demais? Sugiro que anote cada um deles em uma lista e faça uma reflexão como esta que fiz. Será mesmo que precisamos de tudo isso? Somos apenas um, não precisamos consumir como dez.

Compartilhe o artigo:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr

comentários via facebook

9 comentários leave one →

  1. Eu costumo ficar de olho na necessaire antes de comprar qualquer novo produto. Por conta desse consumismo ainda tenho muitos produtos (não vencidos) para usar. E no final acabo só renovando as coisas mais básicas que realmente são as mais úteis. Acho que isso se reflete para todo tipo de compra: cozinha, papelaria, guarda-roupa, escritório, enfim. É sempre bom dar aquela revisada nos itens e na hora de comprar algo novo, repensar.

    Responder
    • Exatamente, Patrícia! Mas como eu estava empolgada em trocar tudo por orgânicos e veganos, acabei comprando mais que precisava e agora estou aqui, com vários em casa… E isso aconteceu sem eu perceber! Estou pensando em fazer uma limpa aqui, doar alguns que não vou usar mais em vez de esperar acabar. Assim faço alguém feliz e fico com menos produtos em casa. 😀

      Responder
  2. Camile, li uma coisa que me lembrou um post antigo seu sobre fazer yoga em público, mas não estou achando ele… Então aí vai: “Quando você é você, o Zazen se torna verdadeiro zazen… Mas quando você não está praticando zazen haverá sua esposa, haverá você mesmo, cada coisa diferente e separada da outra. Portanto, se você estiver realmente praticando, tudo o mais também estará praticando nosso caminho ao mesmo tempo.” Do livro fantástico mente zen, mente de principiante – shunryu suzuki

    Responder
    • Oi Michelle! O post está aqui: camilecarvalho.com/aprendi-yoga-praia 🙂

      Adorei a citação! E é verdade, quando estamos centrados, em sintonia e na energia da prática de yoga, tudo parece fluir junto, não há uma separação. Mas quando desconectamos, aí “os outros” surgem.

      Beijos!

      Responder
  3. Agora sobre esse post mesmo haha me identifico muito com você, quando doei todas minhas maquiagens, cremes, Percebi como gastei dinheiro com tantos químicos que me fazem mal e mal ao planeta… resolvi fazer tudo caseiro. boa jornada de volta ao minimalismo 🙂

    Responder
    • Foi isso mesmo que pensei, como gastei dinheiro (e como o planeta vai sofrer com esse descontrole). O pior é que sempre me achei controlada, fazendo boas escolhas e conscientes, e realmente, os produtos que tenho são cruelty-free, ainda mais agora, que estou buscando orgânicos e veganos. Mas a quantidade é que me assustei! Não sei se conseguirei usá-los até o final ou se vou ficar impaciente e doar alguns e ficar apenas com o básico, mas gostei da sua ideia de fazer caseiros. Esfoliante, por exemplo, estou fazendo com açúcar, mel e óleo de coco. Melhor que os industrializados que usava. 😀

      Responder
  4. Carrie

    Fiz isso recentemente, mas depois de doar o possível, não sei o que fazer com o que sobrou. Onde/como descartar esses produtos de higiene vencidos sem prejudicar o meio ambiente?

    Responder
  5. Fernanda Silva

    Eu te entendo… Faz muito tempo que eu tento não comprar mais nada, quero me livrar dos shampoos, partir pra algo mais natural, me organizar com tudo isso… Mas de algum modo eu sempre acabo comprando mais, e as coisas não acabam… E eu não quero jogar fora já que onde eu moro não existe coleta seletiva nem sistema de esgoto… E na ansiedade de comprar coisas naturais acabo acumulando ainda mais! Tá difícil, viu!

    Responder
  6. Estou nessa fase de destralhamento da minha vida e da minha casa. Este post foi inspirador. o meu próximo passo vai mesmo ser os produtos de higiene e beleza. obrigada

    Responder

Gostou do que escrevi? Deixe um comentário! :)